segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

II Simpósio de Casais no Setor de Catanduva


Pr. Ezequiel Barbosa ministrando aos casais

Durante os dia 23 à 25/02/12 a A Assembleia de Deus Ministério do Belém em Catanduva , setor  do Pr. Ademilson Gomes de Oliveira, realizou o II Simpósio de Casais na cidade de Pindorama , sob a organização do Pr. Mauro. Estavam presentes uns cinquenta casais na sua maioria líderes da igreja e do setor de Catanduva, que conta hoje com 12 congregações dentro da cidade e mais algumas cidades ligadas ao setor que pertence a igreja de Marília, presidida elo para Elandi Mariano. Foram dias marcantes para os casais que participaram do evento. Uma estrutura fantástica para os casais, e para os filhos dos casais que ficaram com uma equipe de apoio enquanto os pais se alimentavam da palavra de Deus. O palestrante convidado para o simpósio foi o Pr. Ezequiel Barbosa (Rio Claro / SP). Que abordou durante três dias sobre o tema: “Gestão Familiar”. Na primeira  noite o Pr. Ezequiel Barbosa falou baseado no tema “Gestão Familiar”  por mais de uma hora  dando um intervalo de quinze minutos para um café delicioso para todos os casais participantes e em seguida palestrou mais uma hora com muita propriedade e graça de Deus. As noites seguintes seguiram o mesmo protocolo de horas ministradas e intervalos, na Sexta o Pr. Ezequiel abordou o tema “Administração do Tempo : Tempo para Deus e temo para a família” e no Sábado abordou o tema “Como ter uma comunicação eficiente no lar” . No sábado foi o fechamento do evento com trocas de presentes dos casais, declarações de amor, com muitas lágrimas, reconciliações e derramamento da graça de Deus. O encerramento foi um grande jantar em uma chácara belíssima para todos os casais.
Parabéns ao Pr. Ademilson Pr. Mauro e toda equipe da organização do evento.


Quebrantamento e muitas lágrimas

Declarações de Amor e Trocas de presentes






<>
Restauração e reconciliações


II Conferência Profética em Itaquera


II Conferência Profética em Itaquera - Poder e muita unção


Pr. Ezequiel Barbosa 

A Assembleia de Deus Ministério do Belém no Setor de Itaquera , congregação do Pr. Ricardo de Oliveira, realizou durante os dias 18 a 23 de fevereiro a  II Conferência Profética, foram seis dias de poder e manifestação de muita glória.  Com o tema: “...e darei poder as minhas testemunhas, e profetizarão...fogo sairá da sua boca...estas tem poder...nos dias da sua profecia” baseado em Ap 11.3-5. No dia 22/02/12 na Quarta-Feira o Pr. Ezequiel Barbosa (Rio Claro/SP) estava agendado para ser um dos preletores do evento. Foi uma noite apoteótica , debaixo de muita unção de Deus. Na noite a igreja estava superlotada, com muitas pessoas em pé e para fora, era glória dentro e glória fora do templo. Estavam presentes a Cantora Derika Gomes (irmã do Pr. Ezequiel Barbosa) e o Grupo Renovo de Itaquera, ambos apresentaram louvores belíssimos de adoração ao Senhor Deus com uma grandeza espiritual gloriosa. O Pr. Ezequiel Barbosa ministrou a palavra nesta Noite de Avivamento, e Deus visitou o seu povo com uma manifestação extraordinária da sua glória. Louvado seja o nome do Senhor Jesus.
Agradecimentos a todos irmãos de Itaquera, e aos amigos Pr. Ricardo e irmão Marcelo.

Cantora Derika Gomes (irmã do Pr. Ezequiel Barbosa)


Grupo Renovo de Itaquera


terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

2º - MILAGRE DE JESUS – A CURA DO FILHO DO OFICIAL DO REI - PARTE II

 

2º - MILAGRE DE JESUS –  A CURA DO FILHO DO OFICIAL DO REI   

Texto : Jo 4. 46-54

Tema:  Jesus é aquele que supera distâncias

Parte II

2º - Ele não se abalou com a resposta de Jesus

(João 4:48) - Então Jesus lhe disse: Se não virdes sinais e milagres, não crereis.


 
Eu imagino este homem, um oficial do rei, sempre mandando , dando ordens ter que peregrinar uma viagem difícil, andando o mais rápido que podia pensando em perder o seu filho, a dor era insuportável. Este homem faria qualquer coisa para ver seu filho melhor. Ele chega até Jesus talvez em seu traje oficial para adicionar mais peso ainda ao seu pedido, ele vem pessoalmente não envia servos, ele recebe uma resposta dura, mas não questiona ele tenta entender o porque Jesus esta falando daquela maneira.

 
A resposta de Jesus parece bastante dura, mas as palavras de Jesus não é dirigida somente a ele, mas a multidão. As pessoas queriam sinais, milagres, como um espetáculo. E agora era um oficial da corte de Herodes que estava ali, desesperado procurando por Jesus.

 
O verso 48 é plural e não singular. Indica que Jesus esta falando para um público maior do que apenas um oficial do rei. 

 
Imaginem quando ele chega em Caná, ele é um oficial do rei, mas o que ele veio fazer? Os curiosos, as perguntas, e ele mesmo começa a se revelar para que esta ali. Pede ao redor da cidade informações para descobrir onde Jesus se encontra. Como ele faz o alarde, uma pequena multidão de curiosos se reúne em torno do oficial do rei e segue-o até onde Jesus está na esperança de verem Jesus fazer um milagre. Jesus não quer criar emoção messiânica indevida cedo demais. Assim, nosso Senhor não quer chamar a atenção para si mesmo.

 
Se Jesus diz que vai até a casa daquele homem pensem na multidão que o acompanharia. E se eles tivessem presenciado a cura desse rapaz, que teriam dito a outros, e muitos iriam atrás de Jesus procurando apenas a cura.  

 
Penso eu que as palavra de Jesus são para dispersar a multidão. Suas palavras são uma repreensão. Eles simplesmente sabem dos sinais que Ele tem realizado em outro lugar e querem ver se ele vai fazer o mesmo (ou até mais) para eles. Jesus os corrige justamente por estarem interessados apenas em seus milagres e não levando a sério o que esses sinais significam. 

 
Jesus conhece a nossa natureza humana, e nossos motivos humanos. Jesus queria levá-lo mais adiante, na sua caminhada de fé. Jesus queria que ele acreditasse no poder da palavra de Deus. Jesus não estava preocupado em conseguir implantar uma fé baseada em milagres, mas uma fé consistente, sólida, em que mesmo em meio os embates da vida, nós estejamos firmes, fundamentados na palavra de Deus.

 
1.   Este é o nosso século XXI, fé de milagres, mas sem consistência espiritual, uma fé pobre, e vazia.
2.   Igrejas gritando “amarre o diabo”; prende ele ; esmurra ele
3.   Músicas que dizem “Pegue o diabo, da um cacete nele amarra ele no tronco e desce a madeira nele”
4.   Eu vi moça, moço no rétété de Jesus como dizem; pular, falar em línguas, profetizar, pregar , orar pelos enfermos, e hoje ? Estão desviados
5.   Istó é uma fé pobre, inoperante, uma coragem mesquinha, ser ousado na igreja é uma coisa ..o problema é lá fora...quando enfrentamos o dia a dia da batalha espiritual.
  • “A fé coletiva é uma; a fé individual é outra”
A resposta de Jesus a esse homem é arrebatadora: “Se não virdes sinais e milagres, não crereis”. A fé dele tinha a direção certa, ele foi até Jesus, porém carecia de sinais para crer. Portanto era uma fé imatura, uma fé baseada em sinais coletivos, no que dizem os outros. Jesus queria que ele aprendesse a crer no poder da palavra.

 
Tudo que é feito em grupo gera coragem, mas individual é outra coisa

 
Pedro quando estava em coletividade arrancou a orelha de Malco, sozinho negou Jesus

 
Vocês já ouviram aquele dos irmãos no culto de vigília , na madrugada, um rétété todos juntos, amarra o diabo,Eta poder. Só que a igreja era perto do cemitério, 3h da madrugada, 3 crentes na rua cheios de poder, uns meninos dentro do cemitério levantaram e buaaaaa.... foi crente para tudo que é lado

 
Tem gente que na igreja  é uma coragem, uma super fé ... eu quero ver lá fora

 
Quando eu estava na faculdade, eu fui cumprimentar um moço, que estava lendo uma revista cristã, e brinquei com ele “E aí moço tudo bem ? você é evangélico?”. Resposta dele “Eu vou na igreja de vez em quando”.  E quando eu me identifiquei ele disse que era crente , com a cara meio amarelada.

 
Jesus quer formar em nós uma fé viva, autêntica, verdadeira, sem máscara, que mesmo as lutas, os embates, nos faça permanecer firmes, e convictos de quem somos.

 
Você precisa de uma fé pra todas as ocasiões

 
3º - Ele reconhece o senhorio de Jesus

 
(João 4:49) – Disse-lhe o nobre: Senhor, desce, antes que meu filho morra.

 
Ele se aproxima de Jesus, chama-o de Senhor, reconhecendo nele alguém como superior à doença e à morte.
1.   
  •   Só aqui ele ganhou 50% do coração de Jesus: Senhor – faz como o senhor quiser
  •  Se eu sou o seu Senhor então vai o teu filho vive
(João 4:50) - Disse-lhe Jesus: Vai, o teu filho vive.

 
A resposta de Jesus a este homem, nos ensina que o cristão não pode viver por aquilo que vê, nem por expectativas geradas em sua mente, mas por fé.

 
Jesus fez que a fé desse homem se desenvolvesse rapidamente, dizendo-lhe: Vai, o teu filho vive.

 
E o homem creu na palavra que Jesus lhe disse, e partiu.

 
O oficial creu no poder da palavra de Jesus. A fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus e nela deve se basear a nossa esperança (Rm 10.17). A fé madura é baseada na Palavra de Deus.

 
4º - Ele creu no poder da palavra divina

 
Imagina comigo a fé que este homem tem que ter para poder voltar para casa acreditando na palavra de Jesus. Jesus não foi com ele como ele queria, ele teve que voltar sozinho.

 
A sua fé aqui com certeza era diferente da que o fez procurar a Jesus. Ele não estava voltando acompanhado de Jesus, que é o que queria, mas confiou no que Jesus falara. Na sua palavra.

 
Pelo caminho aparentemente não aconteceu nada, ele não sentiu nada, não viu nada, mas o diferencial deste homem é que, apesar de tudo isto, ele creu e partiu de volta pra sua casa, para ver seu filho curado.

 
  • 1.     Ele desceu sozinho – fé individual.  Ele não questionou “Não, o senhor vai comigo” ; ele poderia ter dito a Jesus . “O senhor esta de brincadeira comigo, eu vim de longe aqui para ouvir isso?”
  • 2.     No caminho podia acontecer o que for, ser assustado pela notícia que seu filho estava morto,  mas dentro dele ele dizia quando eu chegar em casa ele esta vivo. Porque Jesus havia dito: Vai o teu filho vive.
  • 3.     Ele creu na palavra de Jesus
  • 4.     Até aquele momento ele cria no que ouviu dos outros ; agora ele ouviu Jesus dizer
  • 5.     Na fé dos outros Jesus teria que ir, quando ele ouviu Jesus dizer que ele ia só para casa  - ele creu na palavra e passou a dizer “Meu filho vive”.
  • 6.     Ele adquire uma fé sólida, com alicerces bem firmados.
Sabe o que aconteceu : A voz poderosa de ordem de Jesus saiu de Caná e foi até Cafarnaum:

 
“Menino Vive”.

 
(João 4:51) - E descendo ele logo, saíram-lhe ao encontro os seus servos, e lhe anunciaram, dizendo: O teu filho vive. (João 4:52) - Perguntou-lhes, pois, a que hora se achara melhor. E disseram-lhe: Ontem às sete horas a febre o deixou.

 
Perceba que há aqui mais um passo de fé deste homem, quando ele faz a relação entre a promessa de cura e a efetivação da cura.

 
Que o horário da melhora fora o mesmo que Jesus ordenara que ele voltasse para casa confiando que seu filho continuaria vivo, que foi na hora sétima que corresponde às 13hs.

 
Isto significa que aquele homem saiu em disparate pela madrugada para se encontrar com Jesus.

 
O segredo é ainda ir ao encontro de Jesus pelas madrugadas

 
(João 4:53) - Entendeu, pois, o pai que era aquela hora a mesma em que Jesus lhe disse: O teu filho vive; e creu ele, e toda a sua casa. (João 4:54) - Jesus fez este segundo milagre, quando ia da Judéia para a Galiléia.

 
O impacto do milagre levou toda a casa daquele homem a crer em Jesus.

 
A fé não é algo estático ela se alastra e se desenvolve dentro de nós e em nossa casa. O crescimento na fé é gerado na medida em que vamos conhecendo mais de Deus, e crendo cada vez mais no poder da sua palavra.

 
Quantos creem que a palavra alcança a distância?

 
(Jeremias 23:23) -  Porventura sou eu Deus de perto, diz o SENHOR, e não também Deus de longe?

 
1.     Ele é o Senhor do espaço. Ele não é limitado.
2.     As distâncias não lhe são obstáculos.
3.     O filho do oficial foi curado de uma distância de cerca de 30 a 40 km.
4.     O milagre esta em crer no poder da palavra
5.     Como diz minha irmã a cantora Dérica Gomes – Fé gera ação e ação gera milagre
 
Quando Deus quer agir, ele faz independentemente de onde estivermos. Ele pode até lhe parecer distante, mas sempre esta perto de você e ouve as suas orações.

Sucesso em Cristo

Pr. Ezequiel Barbosa
WWW.ezequielbarbosa.com

 

 

 

2º - MILAGRE DE JESUS – A CURA DO FILHO DO OFICIAL DO REI

 

2º - MILAGRE DE JESUS – A CURA DO FILHO DO OFICIAL DO REI

Texto : Jo 4. 46-54

Tema:  Jesus é aquele que supera distâncias

1.     Alguns por não conhecerem a Bíblia dizem que esta história é apenas uma outra versão da cura do servo do centurião ( Mateus 8:5-13 ; Lucas 7:1-10 ).
2.     As semelhanças são muito poucas; as diferenças são muitas.
3.     Permitam-me mencionar algumas dessas diferenças:
  • O centurião era um gentio, o oficial do rei tem características de ser um judeu.
  • O escravo do centurião sofria de uma paralisia, o filho do oficial do rei estava doente com febre.
  • O centurião é em Cafarnaum, o oficial do rei é em Caná.
  • A fé do centurião ganha elogios de Jesus, o oficial do rei e outros são repreendidos por uma fé deficiente.
  • O centurião não se sente digno de Jesus entrar em sua casa, o oficial do rei pede que Jesus vá até a sua casa.
  • O centurião tem os anciãos judeus para defender o seu caso por ele ter construído a sinagoga ; O oficial do rei vai até Jesus pessoalmente.
Entendemos então que podemos seguramente assumir que o milagre da cura do filho do oficial do rei é único, como é a maioria do material no Evangelho de João. Cinco milagres são únicos, são joaninos e este é um deles.
Vamos analisar o início do mistério de Jesus, estudando o pano de fundo de algumas partes da história no Evangelho de João

Jesus estava principiando o seu ministério, mas a fama de Jesus se espalhava em todos os lugares. Alguém transformar a água em vinho com certeza a notícia corre rápido em vários lugares. Imagine se fosse hoje com tantos meios de comunicação? Naquele tempo era o boca a boca. Mas o nome de Jesus se espalhava rapidamente.


1º - João Batista apresentou Jesus aos homens

(João 1:29) - No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo. (João 1:30) - Este é aquele do qual eu disse: Após mim vem um homem que é antes de mim, porque foi primeiro do que eu. (João 1:31) - E eu não o conhecia; mas, para que ele fosse manifestado a Israel, vim eu, por isso, batizando com água.
(João 1:32) - E João testificou, dizendo: Eu vi o Espírito descer do céu como pomba, e repousar sobre ele. (João 1:33) - E eu não o conhecia, mas o que me mandou a batizar com água, esse me disse: Sobre aquele que vires descer o Espírito, e sobre ele repousar, esse é o que batiza com o Espírito Santo. (João 1:34) - E eu vi, e tenho testificado que este é o Filho de Deus.

2º - Jesus começa a escolher os primeiros discípulos

João 1:37 - E os dois discípulos ouviram-no dizer isto, e seguiram a Jesus.

v. 37 - João, André,(discípulos de João Batista) em seguida o Pedrão, Filipe, Natanael, etc...

João 1:38 - E Jesus, voltando-se e vendo que eles o seguiam, disse-lhes: Que buscais? E eles disseram: Rabi (que, traduzido, quer dizer Mestre), onde moras? 39 - Ele lhes disse: Vinde, e vede. Foram, e viram onde morava, e ficaram com ele aquele dia; e era já quase a hora décima. 40 - Era André, irmão de Simão Pedro, um dos dois que ouviram aquilo de João, e o haviam seguido.41 - Este achou primeiro a seu irmão Simão, e disse-lhe: Achamos o Messias (que, traduzido, é o Cristo). 42 - E levou-o a Jesus. E, olhando Jesus para ele, disse: Tu és Simão, filho de Jonas; tu serás chamado Cefas (que quer dizer Pedro). 43 - No dia seguinte quis Jesus ir à Galiléia, e achou a Filipe, e disse-lhe: Segue-me. 44 - E Filipe era de Betsaida, cidade de André e de Pedro.45 - Filipe achou Natanael, e disse-lhe: Havemos achado aquele de quem Moisés escreveu na lei, e os profetas: Jesus de Nazaré, filho de José. 46 - Disse-lhe Natanael: Pode vir alguma coisa boa de Nazaré? Disse-lhe Filipe: Vem, e vê.47 - Jesus viu Natanael vir ter com ele, e disse dele: Eis aqui um verdadeiro israelita, em quem não há dolo.
48 - Disse-lhe Natanael: De onde me conheces tu? Jesus respondeu, e disse-lhe: Antes que
Filipe te chamasse, te vi eu, estando tu debaixo da figueira.49 - Natanael respondeu, e disse-lhe: Rabi, tu és o Filho de Deus; tu és o Rei de Israel. 50 - Jesus respondeu, e disse-lhe: Porque te disse: Vi-te debaixo da figueira, crês? Coisas maiores do que estas verás. 51 - E disse-lhe: Na verdade, na verdade vos digo que daqui em diante vereis o céu aberto, e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do homem.

3º - O milagre em Caná da Galiléia, faz os discípulos crerem nele

(João 2:11) - Jesus principiou assim os seus sinais em Caná da Galiléia, e manifestou a sua glória; e os seus discípulos creram nele.

4º - Desce para Cafarnaum, onde será a sua base, seu QG, seu ponto estratégico

(João 2:12) - Depois disto desceu a Cafarnaum, ele, e sua mãe, e seus irmãos, e seus discípulos; e ficaram ali não muitos dias.
5º - Jesus desce para a festa da Páscoa em Jerusalém, e então Jesus começa a dar pistas de quem ele era e para o que ele veio.

Dica de João : Salvador – Cordeiro de Deus – Jo 1.29

Dica de Jesus: A casa é do meu Pai, ou seja, se eu sou filho e herdeiro o dono da casa sou eu

(João 2:14) - E achou no templo os que vendiam bois, e ovelhas, e pombos, e os cambiadores assentados. (João 2:15) - E tendo feito um azorrague de cordéis, lançou todos fora do templo, também os bois e ovelhas; e espalhou o dinheiro dos cambiadores, e derribou as mesas; (João 2:16) - E disse aos que vendiam pombos: Tirai daqui estes, e não façais da casa de meu Pai casa de venda. (João 2:17) - E os seus discípulos lembraram-se do que está escrito: O zelo da tua casa me devorará.

(Salmos 69:9) - Pois o zelo da tua casa me devorou, e as afrontas dos que te afrontam caíram sobre mim.

(João 2:23) - E, estando ele em Jerusalém pela páscoa, durante a festa, muitos, vendo os sinais que fazia, creram no seu nome.

Através das palavras e dos ensinos apresentados por Jesus, o ato da limpeza do templo, e  alguns sinais que Jesus fazia muitos passaram a crer em quem verdadeiramente Jesus era.

A notícia começa a se espalhar e chega rapidamente aos fariseus, os doutores da lei.

5º - Nicodemos ouviu falar dos ensinos e de alguns milagres de Jesus e foi ter com ele de noite

(João 3:1) - E HAVIA entre os fariseus um homem, chamado Nicodemos, príncipe dos judeus. (João 3:2) - Este foi ter de noite com Jesus, e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele.

Esta história é extraordinária, um fariseu que logo no início do ministério de Jesus fica maravilhado ao entender a proposta de Deus para enviar Jesus. Sem Jesus não tem novo nascimento. Todos nós precisamos nascer de novo.

6º -  João Batista  reconhece a superioridade de Jesus e Jesus passa a falar abertamente que ele é o Filho de Deus

(João 3:22) - Depois disto foi Jesus com os seus discípulos para a terra da Judéia; e estava ali com eles, e batizava. (João 3:23) - Ora, João batizava também em Enom, junto a Salim, porque havia ali muitas águas; e vinham ali, e eram batizados.

(João 3:26) - E foram ter com João, e disseram-lhe: Rabi, aquele que estava contigo além do Jordão, do qual tu deste testemunho, ei-lo batizando, e todos vão ter com ele.

(João 3:30) - É necessário que ele cresça e que eu diminua.

(João 3:35) - O Pai ama o Filho, e todas as coisas entregou nas suas mãos. (João 3:36) - Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece.

7º - O ministério de Jesus continuava crescendo, de cidade em cidade e a fama de Jesus também se espalhava de cidade em cidade

(João 4:1) - E QUANDO o Senhor entendeu que os fariseus tinham ouvido que Jesus fazia e batizava mais discípulos do que João . (João 4:2) - (Ainda que Jesus mesmo não batizava, mas os seus discípulos), (João 4:3) - Deixou a Judéia, e foi outra vez para a Galiléia. (João 4:4) - E era-lhe necessário passar por Samaria.

Os fariseus começam a ver Jesus como uma ameaça que esta se levantando paulatinamente, sorrateiramente e Jesus se afasta para ampliar mais o seu ministério. Os fariseus só sabiam  criticar e falar mal do trabalho desenvolvido por Jesus, e Jesus sabia bem disso...

(João 4:43) - E dois dias depois partiu dali, e foi para a Galiléia. (João 4:44) - Porque Jesus mesmo testificou que um profeta não tem honra na sua própria pátria.

Jesus foi rejeitado na sua pátria pois ficaram assombrados com as suas palavras e com as coisas que ele fazia. Sua leitura do livro de Isaías, dizendo que o Espírito do Senhor estava sobre Ele para pregar boas novas para os pobres, a proclamar liberdade aos presos e recuperação da vista aos cegos. Ele leu uma passagem que todos entenderam estar falando do Messias, e terminou dizendo que "hoje esta passagem da Escritura foi cumprida” (Lucas 4:16-21). Lucas testemunha que foi aqui na sua própria cidade que Jesus disse, "eu digo a verdade, ele continuou, "nenhum profeta é aceito em sua própria cidade "(Lucas 4:24). A resposta de Nazaré  para Jesus foi levá-Lo para o alto de uma colina e tentar joga-lo para matá-lo (Lucas 4:29).

Jesus passou a ser intragável para eles ao ponto de quererem matá-lo. A fama de Jesus se espalhou em Nazaré suas palavras que ele afirmava ser o Messias o ungido de Deus sacudiu  as estruturas da cidade. Jesus era um homem especial ele era um homem nobre de caráter inquestionável, ele não foi expulso de sua própria cidade porque tinha o nome sujo no SPC ou CERASA da cidade, ele não devia para os irmãos em Nazaré, Jesus não falava palavras torpes ou de baixo escalão, não era briguento, Jesus era educado, gentil, bondoso e fazia coisas que os outros não faziam isto começou gerar o ciúme e Jesus mesmo vai dizer que um profeta não tem honra na sua própria pátria.

Jesus vai se direcionar para preparar suas bases ministeriais na Galiléia

(João 4:45) - Chegando, pois, à Galiléia, os galileus o receberam, vistas todas as coisas que fizera em Jerusalém, no dia da festa; porque também eles tinham ido à festa.

Jesus então vai à segunda vez para Caná da Galiléia onde realizou seu primeiro milagre

João escreve que Jesus foi para Caná da Galiléia, a poucos quilômetros mais ao norte de Nazaré. Ele foi muito bem recebido pelo povo como diz o texto joanino.

(João 4:46) - Segunda vez foi Jesus a Caná da Galiléia, onde da água fizera vinho. E havia ali um oficial do rei / nobre, cujo filho estava enfermo em Cafarnaum.


Caná da Galiléia era a cidade natal de Natanael um dos discípulos de Jesus (João 21:2), onde é provável que eles passaram a noite. Aqui é também um lugar já marcado por um grande milagre de Jesus, quando a água foi feita em vinho, este que foi o primeiro sinal milagroso que Jesus tinha realizado (João 2:11). João também nos diz que outro motivo para eles receberem Jesus com boas vindas é porque eles viram tudo o que Ele havia feito na festa da Páscoa.

Quando Jesus entrou em Caná da Galiléia, um oficial romano veio e pediu-lhe para ir a sua casa para curar seu filho, que estava prestes a morrer. 

Quem era este oficial do rei

1.     A palavra Basilikós no grego significa  – figura eminente, homem de grande importância , figura ilustre da corte, homem que serve a reis. Segundo Flávio Josefo este termo serve para qualquer servo do rei. Este homem não era qualquer um, era um nobre, um oficial da corte do rei Herodes Antipas

2.     Alguns teólogos acreditam que este homem seja Cuza, e sua esposa era Joana, pelo fato de Jesus ter curado seu filho Joana e Cuza passaram a servir o ministério de Jesus com os seus bens. Dando todo apoio e infra-estrutura necessária para o crescimento do ministério de Jesus.

(Lucas 8:3) - E Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes, e Suzana, e muitas outras que o serviam com seus bens.

Este homem passou por algumas etapas difíceis para chegar até Jesus

1º - Ele não mediu esforços para chegar até Jesus

1.     Jesus não estava em Cafarnaum, eram mais de 30 a 40 km de distância até Caná, uma subida íngreme, e de muito difícil acesso, tinha uma grande diferença de altitude Caná estava a 212 m de altitude enquanto Cafarnaum estava a -160m de altitude, por isso a expressão “descer”, mas mesmo assim ele veio até Jesus.
2.     Se foi Cuza realmente ele levou no mínimo cinco horas a cavalo ou de sete a oito horas a pé andando a passos largos
3.     Porém ele não mediu esforços ele foi até Jesus

Imagina a fé daquele homem,  o risco que ele correu, o momento de dor e aflição. Jesus estava iniciando o seu ministério, ele não estava com aquela fama toda com um currículo extenso de milagres como vamos ver mais à frente. Mas aquele homem acreditou em Jesus.

(João 4:47) - Ouvindo este que Jesus vinha da Judéia para a Galiléia, foi ter com ele, e rogou-lhe que descesse, e curasse o seu filho, porque já estava à morte.

1.     Este homem implora, roga que Jesus desça com ele até a sua casa para que pudesse curar o seu filho.
2.     Ele sabia que seu filho estava a beira da morte e era apenas uma questão de tempo,
3.     Ele demonstra a urgência e o desespero da sua procura por Jesus.
A forma como Jesus vai agir e como Jesus curou o filho desse oficial contrasta com a forma com que ele curou o servo do centurião. O oficial do rei queria que Jesus fosse à sua casa. Aí está o contraste das duas histórias que são semelhantes, mas Jesus curou à distância. No caso do centurião, Jesus queria ir à casa dele, mas o centurião não achou necessário, e Jesus também curou a distancia.
Não crie obstaculos para se aproximar de Jesus, se esforçe, lute e chege até Jesus. Vença todos os obstaculos que te impedem de chegar ate Jesus.

Crie nele uma fé inabalável, inquestionável, solidificada na palavra de Deus.

Sucesso em Cristo

Pr. Ezequiel Barbosa
WWW.ezequielbarbosa.com