segunda-feira, 30 de abril de 2012

A cura de um leproso - Parte 2



Milagre : A Purificação do leproso -  Cafarnaum 

Tema : Atitudes que geram mudanças

Suas atitudes definem as mudanças da sua vida

Textos ; Mateus 8.2-4; Marcos 1.40-45; Lucas 5.12-16

Parte 2

Por que o leproso deveria viver afastado, longe do convívio da sociedade?

       Segundo a Lei : O primeiro passo para cura desta "doença" era afastá-lo da sociedade.
       Fora do convívio, isolado de tudo e longe de todos, ele deveria refletir sobre seus atos.
       A solidão deveria levá-lo a dar mais valor a Deus, a família, aos amigos e à sua sociedade.
       A falta das companhias o levaria a dar valor àqueles que outrora desprezou e, assim, chegaria ao arrependimento.

Irmãos imaginem comigo se fossemos afastar os crentes leprosos (fofoqueiros, contendeiros, e murmuradores) das igrejas. Teriam que sair alguns caminhões lotados.

A fofoca é um mau que tem assolado e destruído várias igrejas trazendo divisão e contendas no povo de Deus.

“Todo fofoqueiro é culpado pelos resultados do atraso do povo de Deus”.

Fofocar é ser MALDIZENTE aquele que fala mal dos outros;
MEXERIQUEIRO; é o difamador, é aquele que conta histórias em segredo, para trazer intrigas, bisbilhotar intrometer-se na vida alheia para contar para outras pessoas e trazer contendas.

O que nos podemos observar claramente nesta passagem bíblica é que Miriam e Arão sendo envolvidos com um sentimento de fofoca trariam sobre a sua própria vida consequências sérias, como a lepra, tomando conta do corpo inteiro de Miriam por ela ter falado contra Moisés.

Satanás trabalha com veemência e sem clemência no meio do corpo de Cristo (a igreja) para trazer sempre uma ponta de fofoca. Levantando adeptos a ele para fofocar e murmurar contra aquilo que é de Deus.

Implantar a lepra retrata a natureza do diabo: João 10:10

O inimigo tem como missão primordial gerar na igreja que é santa : Divisão; / Separação / Morte; / Destruição / Amargura;

Levítico 19: 16 - Não andarás como mexeriqueiro entre o teu povo; não te porás contra o sangue do teu próximo. Eu sou o SENHOR.

Salmos 101: 5 - Aquele que murmura do seu próximo às escondidas, eu o destruirei; aquele que tem olhar altivo e coração soberbo, não suportarei.

Provérbios 6: 16 - Estas seis coisas o SENHOR odeia, e a sétima a sua alma abomina: 17 - Olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, 18 - O coração que maquina pensamentos perversos, pés que se apressam a correr para o mal, 19 - A testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre irmãos.

I Corintios 5: 11 - Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais.

Você conhece aquela história só para quebrar um poço o gelo

Certo dia três amigos crentes se juntaram e estavam reunidos lembrando dos velhos tempos. Um deles teve uma idéia:

-"Puxa! Já que somos amigos de infância, nos conhecemos há muito tempo, vamos
brincar de contar nossos segredos ou pecados mais escondidos?"

Houve certa resistência no início, porém os outros dois acabaram cedendo á idéia do
amigo.

-"Então começa você que deu a idéia"!

Um retrucou e o outro respondeu:

-"O meu é o pior de todos, contando ele agora fio com muita vergonha"

Então o outro amigo começou a falar de si próprio:

-"Meu pecado é terrível... meu fraco é mulher eu não consigo tirar os olhos das mulheres fico arrepiado, soando frio!!!

-Exclamaram os outros dois. "Agora é sua vez amigo”,diz:

- “Bom, o meu pecado escondido é o dinheiro, eu não posso ver dinheiro sobrando que eu pego mesmo”!

- "Que é isso?"  Os amigos falaram assustados e ficaram desesperados e atônitos com a declaração do amigo.

E os amigos perguntaram para o outro :

- E o seu conte-nos agora qual é o seu pecado?
 
-"Bem meus queridos, vou lhes contar um terrível e maldito pecado que perdura a minha alma desde que me entendo como ser humano, e o pior é que não consigo me livrar dele! Já fiz de tudo para ficar sem ele mas não consigo.

Os amigos apavorados, e com dó do companheiro disseram:

-Conte-nos de repente podemos te ajudar.

Ele respirou fundo e disse:

“-Lá vai então... É que tudo que é tipo de segredo que eu ouço não consigo guardar comigo mesmo...O meu pecado é ter a língua grande e estas novidades aqui contadas em primeira mão estão coçando na minha língua para contar para todo mundo ouvir”.

Deus quer trazer o homem de volta para o arraial. Deus não se alegra ao ver o homem fora do arraial

1.     Em Gênesis vemos o homem perdido, ou seja, contaminado, sujo com o pecado.( GN 3)
2.     Em Exôdo vemos o homem remido, livre do Egisto (EX 12:21 o sangue)
3.     Em Levítico vemos o homem prestando culto -> aprendendo a se manter puro para adoração dentro do arraial

Deus não aceita falsidade no arraial – No arraial só permanece os santos. Leprosos são colocados isolados fora do arraial.

Deus precisa detectar se você é santo ou leproso.

Como era o processo para detectar a lepra : A inspeção

1º - A lepra consumia o corpo

Declaração feita por Arão - a carne é “metade consumida”. — Núm 12:12.

Números 12: 12 - Ora, não seja ela como um morto, que saindo do ventre de sua mãe, a metade da sua carne já esteja consumida.

2º - O leproso era considerado um monstro, uma anomalia, uma maldição, um imundo, um pecador

Números 5: 1 - E FALOU o SENHOR a Moisés, dizendo: 2 - Ordena aos filhos de Israel que lancem fora do arraial a todo o leproso, e a todo o que padece fluxo, e a todos os imundos por causa de contato com algum morto. 3 - Desde o homem até a mulher os lançareis; fora do arraial os lançareis; para que não contaminem os seus arraiais, no meio dos quais eu habito. 4 - E os filhos de Israel fizeram assim, e os lançaram fora do arraial; como o SENHOR falara a Moisés, assim fizeram os filhos de Israel.

3º- O Leproso sendo identificado era levado para ser diagnosticado

Lev 13 

1      .    São as instruções bíblicas sobre como os israelitas deviam tratar-se (se cuidar)
2    .    Como deviam tratar alguém quando tivesse lepra.

O acusado de lepra era levado ao sacerdote pra ser examinado – Lev 13.9

Levítico 13: 9 - Quando no homem houver praga de lepra, será levado ao sacerdote,

Poderia ser uma erupção, uma ferida,um machucado, uma mancha, micose, um furúnculo, ou uma cicatriz na carne, resultante duma queimadura.

Lev 13 apresenta 21 aflições, situações de ocasiões da pele, incluindo a lepra

Levítico 13: 1-9

Levítico 13:1- FALOU mais o SENHOR a Moisés e a Arão, dizendo: 2 - Quando um homem tiver na pele da sua carne, inchação, ou pústula, ou mancha lustrosa, na pele de sua carne como praga da lepra, então será levado a Arão, o sacerdote, ou a um de seus filhos, os sacerdotes. 3 - E o sacerdote examinará a praga na pele da carne; se o pêlo na praga se tornou branco, e a praga parecer mais profunda do que a pele da sua carne, é praga de lepra; o sacerdote o examinará, e o declarará por imundo. 4 - Mas, se a mancha na pele de sua carne for branca, e não parecer mais profunda do que a pele, e o pêlo não se tornou branco, então o sacerdote encerrará o que tem a praga por sete dias; 5 - E ao sétimo dia o sacerdote o examinará; e eis que, se a praga, ao seu parecer parou, e na pele não se estendeu, então o sacerdote o encerrará por outros sete dias; 6 - E o sacerdote ao sétimo dia o examinará outra vez; e eis que, se a praga se recolheu, e na pele não se estendeu, então o sacerdote o declarará por limpo; é uma pústula; e lavará as suas vestes, e será limpo. 7 - Mas, se a pústula na pele se estende grandemente, depois que foi mostrado ao sacerdote para a sua purificação, outra vez será mostrado ao sacerdote, 8 - E o sacerdote o examinará, e eis que, se a pústula na pele se tem estendido, o sacerdote o declarará por imundo; é lepra. 9 - Quando no homem houver praga de lepra, será levado ao sacerdote,

1) O Deus Eterno deu a Moisés e a Arão as seguintes leis

2) Se uma pessoa tiver na pele uma inchação, tumor ou mancha que vai virando uma doença contagiosa, essa pessoa será levada a Arão, o sacerdote, ou a um dos sacerdotes, que são filhos de Arão

3) O sacerdote examinará a pele, e, se os pêlos da mancha se tornaram brancos, e se parecer que a ferida ficou mais funda do que a pele, então é uma doença contagiosa; o sacerdote declarará que a pessoa é impura

4) Mas, se a mancha for branca, e se não parecer que ficou mais funda do que a pele, e se os pêlos do lugar não se tornaram brancos, então o sacerdote fará com que a pessoa fique no isolamento sete dias ( v. 4 )

5) No sétimo dia o sacerdote a examinará de novo e, se na sua opinião a mancha não se espalhou, mas continua como estava, então ele mandará que a pessoa fique no isolamento mais sete dias (v.5)

14 dias após – Depois de 2 inspeções, era feita a 3ª inspeção

6) No sétimo dia ele examinará a pessoa outra vez; se a mancha estiver desaparecendo e se não tiver se espalhado na pele, então é só um tumor sem importância. A pessoa lavará a roupa que estiver vestindo, e o sacerdote declarará que está pura

Estas 3 inspeções falam a respeito das 3 pombas que Noé soltou, das 3 oportunidades que foram nos dada:

Da dispensação do Pai, do Filho e agora estamos vivendo a da Graça Divina a do Espírito Santo nos dada através do sangue de Jesus nosso Sumo Sacerdote
A porta da oportunidade esta passando o Sumo Sacerdote por excelência esta conosco ainda, aproveite a oportunidade de Deus para a sua vida.

Jesus é o nosso Sumo Sacerdote, detectou é lepra? Pecado tem que ser levado para ele.

(Hebreus 2:17) - Por isso convinha que em tudo fosse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote naquilo que é de Deus, para expiar os pecados do povo. (Hebreus 2:18) - Porque naquilo que ele mesmo, sendo tentado, padeceu, pode socorrer aos que são tentados.

7) Mas, se depois disso a mancha se espalhar na pele, então a pessoa irá outra vez falar com o sacerdote

8) Ele a examinará e, se a mancha tiver se espalhado, declarará que a pessoa está impura; é um caso de doença contagiosa

9) Quando alguém tiver uma doença contagiosa da pele, deve ser levado ao sacerdote

(Levítico 13:22) - Se ela grandemente se estender na pele, o sacerdote o declarará por imundo; praga é.

E se fosse diagnosticado a lepra?

O QUE SE FAZIA COM UM LEPROSO ?

Em Cristo

Pr. Ezequiel Barbosa

http://www.ezequielbarbosa.com/

sábado, 28 de abril de 2012

A cura de um leproso - Parte 1


Milagre : A curade um leproso -  Cafarnaum 

Tema : Atitudes que geram mudanças

Suas atitudes definem as mudanças da sua vida

Textos ; Mateus 8.2-4; Marcos 1.40-45; Lucas 5.12-16

Para podermos entender este milagre é necessário entrar no contexto histórico e cultural da época. Observarmos os preceitos judaicos, e investigar minuciosamente o que dizia a Torá em relação à lepra, ou ao homem que estivesse leproso. Vamos descobrir no período vetero testamentário que o estar com a lepra ou ser leproso na sociedade judaica era algo chocante e humilhante para o leproso e para a família.

Vocês participaram de declarações fortíssimas que mudarão as suas vidas, acompanhe cada parte deste tão extraordinário milagre de Jesus na vida de um leproso.

Vamos estudar e conhecer um pouco sobre a lepra.

Segundo o francês, Raoul Follereau : "o homem leproso tem duas doenças: a lepra e o ser leproso. O seu sofrimento físico e moral faz dele o ser mais infeliz da humanidade".

O Dr. William Barclay, em seu comentário bíblico, descreveu um leproso nos seguintes termos:

Todo o aspecto do rosto se modifica até que o homem perca a aparência humana, como diziam os antigos, assim como um leão ou um sátiro (um bicho) . Os nódulos ficam bem maiores; ulceram e deles sai uma erupção repugnante. Os pelos das  sobrancelhas caem; os olhos ficam estatelados; as cordas vocais, ulceradas; a voz, rouca e a respiração, chiada… As mãos e os pés sempre ulceram. Lentamente, a vítima vai se transformando num monte de tumores ulcerados. A doença progride em média por nove anos, e culmina em deterioração mental, coma e finalmente morte. A vítima se torna totalmente repulsiva tanto para si mesma como para os outros.Um leproso durava 10 anos (sem esperança)

A lepra no seu estágio inicial ao crescimento gerado por ela

  1. Manchas brancas
  2. Feridas ou nódulos
  3. Perca da sensibilidade
  4. Perca dos pedaços do corpo
  5. A pele passava a possuir lesões, feridas e apodrecia a carne do leproso.
  6. O mau cheiro e o aspecto físico eram insuportáveis
  7. Só restava a morte.

A lepra era a doença mais temida que havia. Segundo os rabinos a lepra que a bíblia relata era pior que a doença que hoje é conhecida como hanseníase, ou infecção crônica no organismo (ela era ainda pior). Ela gerava o definhamento e a total destruição do físico, da mente (sonhos e perspectivas vão se deteriorando) e do ser espiritual (a separação do homem e Deus). O homem perdia a sensibilidade, e passava a não sentir mais dor. Os pedaços do corpo começavam a cair.

Nenhuma outra doença reduz um ser humano durante tantos anos a uma destruição externa e interna tão terrível. Dependendo da duração da lepra, uns tinham perdido os dedos das mãos, ou talvez dos pés, as orelhas, dentes, braços, e o nariz...

Conforme o estágio a face ficava deformada, o corpo coberto por úlceras, nódulos, e feridas que de longe geravam o mau cheiro insuportável. Sem poder se aproximar de ninguém viviam isolados nos vales caracterizados como “Vale dos Leprosos”. Comiam os restos que ninguém comeria. Viviam dos lixos que ninguém viveria. No contexto judaico era a mais desprezível de todas as enfermidades.

A pessoa leprosa era declarada morta. (jogavam terra quando o leproso passava declarando que ele tinha que voltar para o pó, pois ele já estava morto). O seu único destino era morar com os outros leprosos fora da cidade no Vale dos Leprosos, em cavernas como mortos, esquecidos, abandonados e excluídos para sempre até que alcançasse a misericórdia de Deus e fosse curado.  

1º - A lepra representa o pecado ela nos separa do arraial

Por que a lepra representa o pecado?

A lepra fala de tornar o homem um imundo, sujo e impuro e todo conceito aqui é a santidade porque Deus é Santo.

Deus é Santo e não aceita aquilo que é impuro dentro do arraial.

  1. A lepra separava o homem de Deus. O pecado nos separa de Deus.

  1. Assim como o pecado, ela começava com uma pequena mancha e vai crescendo.

(Levítico 13:7) - Mas, se a pústula (deixa de ser mancha para formação de nódulos, e feridas) na pele se estende grandemente, depois que foi mostrado ao sacerdote para a sua purificação, outra vez será mostrado ao sacerdote, (Levítico 13:8) - E o sacerdote o examinará, e eis que, se a pústula na pele se tem estendido, o sacerdote o declarará por imundo; é lepra.

(Levítico 13:22) - Se ela grandemente se estender na pele, o sacerdote o declarará por imundo; praga é.

  1. O leproso tinha que viver longe do arraial – fora da presença de Deus

(Levítico 13:46) - Todos os dias em que a praga houver nele, será imundo; imundo está, habitará só; a sua habitação será fora do arraial.

(Números 5:2) - Ordena aos filhos de Israel que lancem fora do arraial a todo o leproso, e a todo o que padece fluxo, e a todos os imundos por causa de contato com algum morto. (Números 5:3) - Desde o homem até a mulher os lançareis; fora do arraial os lançareis; para que não contaminem os seus arraiais, no meio dos quais eu habito. (Números 5:4) - E os filhos de Israel fizeram assim, e os lançaram fora do arraial; como o SENHOR falara a Moisés, assim fizeram os filhos de Israel.

Assim como o pecado, ela podia atingir a pele num lugar escondido (o interior do homem)

A cabeça (a mente), o corpo (a dignidade), as roupas (o exterior, as atitudes), e a casa (a família)

Somente o sangue de Jesus pode purificar o homem.

(Hebreus 9:22) - E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão.

(I João 1:7) - Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.

1.     A lepra deforma – A lepra deixa marcas e deformidades. Ela mutila e deixa cicatrizes profundas. Assim é o pecado. Ele deixa marcas profundas na mente, na alma, no corpo.

2.     A lepra contamina – A lepra é contagiosa. O pecado também contamina. Ele pega. Fuja de más influências, de lugares perigosos.

3.     A lepra mata – A lepra era uma doença incurável. O pecado é uma doença mortal.

Jesus da vida. E vida com abundância

Ouça esta expressão – Segundo a lei e os rabinos a lepra era a doença dos fofoqueiros, murmuradores e dos contendeiros. Aqueles que gostavam de falar mal dos outros

Segundo o Rabino Shlomo Ben Itzhak  -  Rab. Shlomó Wahnón – respeitado na cultura judaica e conhecido pelo acrônimo Rashi.

“Esta é a lei do Metzorá...” (Vayikrá 14:1) “Esta é a lei do Metzorá (infecção especial parecida com a lepra)...e saíra o cohen fora do acampamento... e tomará para o que se purifica, dois pássaros vivos e puros, um pau de madeira de cedro, lã pintada de carmesim e uma planta de hissopo”, o qual comenta Rabí Shlomo Ben Ishakí (Rashi): devido a que estas confecções chegam à pessoa pelo seu mal falar (Lashóm Hará), que provém o sussurro das palavras e por isso lhe exigiram trazer dois pássaros que sussurram continuamente. O Metzorá é obrigado a abandonar o acampamento até que se purifique. Deve separar-se da comunidade pelo grande estrago que provocou “o seu mau falar”: Rabí Israel Meí Hacohen, autor a Mishná Berurá no seu livro Chafetz Chaim (Quem deseja viver), na sua introdução começa no parágrafo de Salmos (34:13, 14,15): “Qual é o homem que deseja a vida, que quer muitos dias nos quais deseja ver o bem? Guarda a tua língua para que não falar mal e os teus lábios de falar mentiras. Afasta-te da maldade e faz o bem, procura a paz e persegue-a.” A vida encontra-se na língua, como disseram os nossos Sábios:”A vida e a morte estão na posse da língua”, ou como disse Rabí Shimón Ben Gamliel em Pirkei Avot: “Toda a minha vida me criei entre os Sábios e não vi melhor para o corpo que o silêncio”. Muitos conselhos a este respeito nos são transmitidos ao longo das gerações sobre o cuidado que deve ter a pessoa no uso do potencial Nefesh Chaiá (alma viva) que o define o Targum Onkelos:”Ruach Hamelalá” (espírito que fala ) e Rashi comenta: Que ainda também os animais foram denominados “espíritos vivos”, o homem foi denominado por excelência, pois foi-lhe concedido o entendimento e a fala. Os animais têm a capacidade de entender o que falam, de compreender a profundidade do conteúdo, das intenções. “Bendito seja o Todopoderoso... que nos deu a Torá para que possamos cumprir os Seus preceitos e toda a Sua intenção para nos beneficiar...”, tal como nos advertiu Moshé Rabeinu antes de se despedir do povo )Deuteronómio 12:13): “O que é que o Todopoderoso exige... cuidar as leis e os preceitos que vos encomendou hoje para vosso bem”. Entre as limitações que os nossos Sábios estabeleceram em relação ao falar mal, disseram: Três pessoas pecam quando se fala mal: aquele que fala, o que escuta e aquele de quem se fala. Ao que nos perguntamos, que culpa tem a pessoa de quem se fala para que seja considerada cúmplice neste pecado? A resposta encontra-se no fundo da pessoa e a sua responsabilidade com o próximo. A pessoa é um ser simpático como disse o Rei Shlomo nos Provérbios (27:19): “Assim como o rosto se reflecte na água, também o coração do homem com o seu próximo”, tal como é muito difícil sorrir perante quem chora também é difícil criticar aquele que nos faz bem. Fazer bem é algo ilegível, senão uma obrigação na nossa responsabilidade para com o nosso próximo. Fazer bem ao próximo converte-se em nosso próprio benefício, uma vez que todos nos encontramos no mesmo barco, e um passageiro faz um buraco no seu camarote, não está a pôr em perigo apenas o seu quarto, senão todo o navio, todos nós. O defeito humano encontra-se no quanto estranho se sente em relação ao seu próximo. Assim, é difícil encontrar quem critique o seu melhor amigo e muito menos o seu filho e muito menos a si mesmo. A crítica não construtiva vem apenas pelas más condições humanas, como a inveja, o ódio, a cobiça, etc.

O mesmo vai dizer:

O Metzorá (o leproso) é obrigado a abandonar o acampamento até que se purifique.  Deve separar-se da comunidade pelo grande estrago que provocou “o seu mau falar”: A parashá Metzorá nos descreve o castigo imposto a uma pessoa que praticou a maledicência (Lashon Hará) contra alguém. Já no início no Sêfer Shemot (Êxodo), a Torah nos conta sobre Miriam, irmã de Moshé Rabeinu, que falou Lashon Hará (falou mau, murmurou,reclamou) a respeito de seu irmão e imediatamente foi punida seriamente, contraindo a tsara’at, a lepra.

Rabi Moshe ben Nachman, ou Nachmánides, mais conhecido por seu acrônimo Ramban:

Observa que Míriam só murmurou discretamente para seu outro irmão e mesmo assim foi severamente punida por ter falado de Moisés: “E a nuvem retirou-se de sobre a tenda, e eis que Míriam estava leprosa, branca como a neve; e olhou Aarão a Míriam, e eis que estava leprosa” (Números 12,10)

Números 12: 1 - E FALARAM Miriã e Arão contra Moisés, por causa da mulher cusita, com quem casara; porquanto tinha casado com uma mulher cusita.2 - E disseram: Porventura falou o SENHOR somente por Moisés? Não falou também por nós? E o SENHOR o ouviu. 3 - E era o homem Moisés mui manso, mais do que todos os homens que havia sobre a terra. 4 - E logo o SENHOR disse a Moisés, a Arão e a Miriã: Vós três saí à tenda da congregação. E saíram eles três. 5 - Então o SENHOR desceu na coluna de nuvem, e se pôs à porta da tenda; depois chamou a Arão e a Miriã e ambos saíram. 6 - E disse: Ouvi agora as minhas palavras; se entre vós houver profeta, eu, o SENHOR, em visão a ele me farei conhecer, ou em sonhos falarei com ele.
7 - Não é assim com o meu servo Moisés que é fiel em toda a minha casa. 8 - Boca a boca falo com ele, claramente e não por enigmas; pois ele vê a semelhança do SENHOR; por que, pois, não tivestes temor de falar contra o meu servo, contra Moisés? 9 - Assim a ira do SENHOR contra eles se acendeu; e retirou-se.
10 - E a nuvem se retirou de sobre a tenda; e eis que Miriã ficou leprosa como a neve; e olhou Arão para Miriã, e eis que estava leprosa. 11 - Por isso Arão disse a Moisés: Ai, senhor meu, não ponhas sobre nós este pecado, pois agimos loucamente, e temos pecado. 12 - Ora, não seja ela como um morto, que saindo do ventre de sua mãe, a metade da sua carne já esteja consumida. 13 - Clamou, pois, Moisés ao SENHOR, dizendo: Ó Deus, rogo-te que a cures. 14 - E disse o SENHOR a Moisés: Se seu pai cuspira em seu rosto, não seria envergonhada sete dias? Esteja fechada sete dias fora do arraial, e depois a recolham. 15 - Assim Miriã esteve fechada fora do arraial sete dias, e o povo não partiu, até que recolheram a Miriã.

Deuteronômio 24: 8 - Guarda-te da praga da lepra, e tenhas grande cuidado de fazer conforme a tudo o que te ensinarem os sacerdotes levitas; como lhes tenho ordenado, terás cuidado de o fazer. 9 - Lembra-te do que o SENHOR teu Deus fez a Miriã no caminho, quando saíste do Egito.

1.     Para os judeus o leproso era como um indivíduo que não poderia viver em sociedade, pois não sabe dar valor  a  Deus, a família,e aos companheiros.
2.     O leproso sempre procura o lado negativo das pessoas para chacoteá-las, e zombar delas;
3.     O leproso era um fofoqueiro, um zombador, e um murmurador. Só atrapalhava o crescimento
4.     Sempre procura um erro nas pessoas para fazer um comentário maldoso;
5.     Sempre observa a imperfeição do amigo para depois desprezá-lo.

Por que o leproso deveria viver afastado, longe do convívio da sociedade?

       Segundo a Lei : O primeiro passo para cura desta "doença" era afastá-lo da sociedade.
       Fora do convívio, isolado de tudo e longe de todos, ele deveria refletir sobre seus atos.
       A solidão deveria levá-lo a dar mais valor a Deus, a família, aos amigos e à sua sociedade.
       A falta das companhias o levaria a dar valor àqueles que outrora desprezou e, assim, chegaria ao arrependimento.

Irmãos imaginem comigo se fossemos afastar os crentes leprosos (fofoqueiros, contendeiros, e murmuradores) das igrejas. Teriam que sair alguns caminhões lotados.

A fofoca é um mau que tem assolado e destruído várias igrejas trazendo divisão e contendas no povo de Deus.

“Todo fofoqueiro é culpado pelos resultados do atraso do povo de Deus”.

Continua depois....divulgue

Em Cristo , seu amigo

Pr. Ezequiel Barbosa

http://www.ezequielbarbosa.com/

quinta-feira, 26 de abril de 2012

A cura da sogra de Pedro - Parte 5


10º - Tudo o que Jesus faz tem como objetivo a expansão do reino de Deus
Luc 4. 40 - E, ao pôr-do-sol, todos os que tinham enfermos de várias doenças lhos traziam; e, impondo as mãos sobre cada um deles, os curava.
Mc 1.32 - E, tendo chegado à tarde, quando já estava se pondo o sol, trouxeram-lhe todos os que se achavam enfermos e os endemoninhados. 33. E toda a cidade ( se ajuntou à porta ).
Tanto Marcos como Lucas vai analisar a espera da multidão para a chegada do outro dia o domingo para poderem ir até Jesus. Eles não podiam violar a lei do sábado.
Analise o texto de Luc 4.40 - ...pôr-do-sol ; e Mc 1.32 -  ...tendo chegado à tarde, quando já estava se pondo o sol (Sábado durava das 18hs da Sexta às 18hs dos Sábado). Quando o dia estava se findando e começando anoitecer eles procuraram Jesus. Eles obedeciam aos mandamentos da lei e dos profetas.
Jeremias 17: 21 - Assim diz o SENHOR: Guardai as vossas almas, e não tragais cargas no dia de sábado, nem as introduzais pelas portas de Jerusalém; 22 - Nem tireis cargas de vossas casas no dia de sábado, nem façais obra alguma; antes santificai o dia de sábado, como eu ordenei a vossos pais.
O Comentário Bíblico Esperança vai nos informar: Naquele dia havia em Cafarnaum uma maravilhosa agitação. Por volta do pôr do sol, i. é, no momento em que (segundo Lc 4.31-39) o descanso do sábado havia terminado, conforme prescrito na lei, e já se podia carregar uma carga pesada, trouxeram a Jesus um grande número de doentes, sofredores, aos quais curou a todos, segundo Lucas 4.40, “pondo a mão sobre cada um individualmente”.
Outra questão é que foi pouco tempo após a cura da sogra de Pedro. Jesus, os discípulos, a própria sogra de Pedro não tiveram muito tempo. Nem para se recuperar, nem para repousar, pois logo após a cura dela espalhar a notícia pela cidade e as multidões vieram até eles.
Que porta é esta que a multidão se ajuntou?
Com certeza à porta da casa de Pedro.
O objetivo de Jesus era a expansão, o crescimento a dimensão do reino de Deus na terra. De toda a cidade os que estavam enfermos vieram à porta da casa de Pedro pedindo uma cura, um milagre a Jesus. Ele impondo as mãos sobre cada um deles, os curava. Não foi fácil era muita gente, pois trouxeram-lhe todos os que se achavam enfermos e os endemoninhados, e mais toda a cidade se ajuntou à porta para ver o que Jesus estava fazendo.
Jesus com certeza precisou de uma equipe de apoio e imagine quem estava no meio desta equipe valorosa de Jesus?
Isto mesmo a sogra de Pedro, servindo a todos com alegria, talvez uma água, alguma coisa para comer aos que tinham fome, ou mesmo um cafezinho quentinho ou um chá. Ajudando aos necessitados e socorrendo outros que procuravam por Jesus.
Pense comigo que cena após sua cura, ela estava animada servindo a Jesus, e servindo a multidão como sempre fez com alegria e muito entusiasmo. Ela não ficou lá parada esperando a banda passar, olhando aquelas maravilhas que Jesus fazia, longe, distante vendo Jesus operar sem participar sem se envolver. Ela sabia que Jesus a havia curado para que ela pudesse ser parte da estruturação da expansão do reino de Deus na terra.
Agora ela fazia parte da equipe de apoio operacional do ministério de Jesus. Ela foi salva por Jesus Cristo, curada por ele, e o servia naquele dia, com a alegria de quem escapou da morte, mas agora viva sabia que tinha uma nobre missão servir o reino de Deus com alegria.
11º - Jesus veio para desfazer as obras do diabo
Mc 1. 34 - E curou muitos que se achavam enfermos de diversas enfermidades e expulsou muitos demônios, porém não deixava falar os demônios, porque o conheciam.
Luc 4. 41 - E também de muitos saíam demônios, clamando e dizendo: Tu és o Cristo, o Filho de Deus. E ele, repreendendo-os, não os deixava falar, pois sabiam que ele era o Cristo.

1.     Jesus veio com uma missão específica libertar aqueles que foram escravizados pelas forças do mal. Existem poderes malignos que querem destruir as expectativas, os sonhos do homem, mas Jesus veio para restaurar, e reconciliar o relacionamento do homem com Deus. Ele veio buscar e salvar todo aquele que se havia perdido (Luc 19.10). O ministério de Jesus é muito claro e transparente demonstrando o seu alvo primordial, a libertação dos cativos e dos oprimidos. A Bíblia diz que ele foi ungido para isso (At 10.38), ele foi consagrado para este propósito (Is 61. 1,2). Jesus Cristo veio para desfazer as obras do diabo ( I Jo 3.8).

2.     Neste período Jesus estava iniciando o seu ministério e não podia se apresentar com todas as prerrogativas como o Cristo e Messias divino. Jesus sabia que havia o tempo certo de se apresentar para todos os povos, era a fase do silêncio profético, por isso Jesus não permitia que os demônios falassem e nem permitia que as pessoas anunciassem que havia feito o milagre. Ele sabia que ele não poderia morrer antes do tempo, e também sabia que os demônios sabiam quem ele era. Eles estavam certos de que ele era o Filho de Deus, o Santo de Deus aquele que se esvaziou da sua glória no céu e que veio como semente da mulher. É interessante esta expressão dos demônios, este reconhecimento deles com relação a Jesus sendo o ungido de Deus e o Filho de Deus, “Tu és o Cristo, o Filho de Deus”. Jesus não aceitou a declaração deles, mas aceitou e aprovou com todas as letras a declaração de Pedro quando pergunta aos discípulos sobre o que eles achavam de Jesus e Pedro diz a mesma expressão que os demônios disseram “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”. Por isso Jesus vai dizer esta revelação não foi nem o sangue e nem a carne que havia revelado a Pedro, mas somente o Pai poderia ter dado a ele esta revelação celestial. Porém os demônios vieram do céu, são anjos decaídos e eles sabiam quem era Jesus, o Cristo, o Filho de Deus, o verbo encarnado, a semente de mulher, e aquele que em breve esmagará a cabeça do diabo (Rom 16.20). E eles com todas as letras tem que reconhecer a grandiosidade do Cristo vivo - Tu és o Cristo, o Filho de Deus.

12º - Jesus nos deu o exemplo de uma vida de oração
Mc 1. 35 - E, levantando-se de manhã muito cedo, estando ainda escuro, saiu, e foi para um lugar deserto, e ali orava.
Jesus levantou cedo pela madrugada, sendo ainda escuro e não foi ver como estava o seu IBOP nas ruas de Cafarnaum, se estavam falando dele nas redes sociais da internet na Galiléia, não foi comprar o jornal para ver se a sua foto era a matéria principal da capa. Jesus se levantou cedo e foi para um lugar deserto para orar. Jesus sempre pautou, abalizou o seu ministério em uma vida de oração. Jesus sabia como homem da necessidade que ele tinha de orar sempre sem desfalecer. Jesus mantinha a sua comunhão com o Pai de uma forma muito intensa. Jesus inicia o seu ministério orando e finaliza o seu ministério orando. Sempre em todas as ocasiões mais principais do seu ministério você vai encontrar Jesus orando. Não existe outro caminho para um ministério profícuo e abundante se não através de uma vida de oração. Não acontecem milagres sem oração, não existem lágrimas de arrependimento sem a oração, não existem idas aos pés do Senhor Jesus sem a oração. A oração é o caminho mais sublime para a aquiescência de uma igreja. Só tem uma igreja dinâmica e viva se ela for levada debaixo do joelho.
·         Jesus orou quando foi batizado (Lc 3.21)
·         Jesus orou para tomar decisões importantes (Lc 6.12,13)
·         Jesus orava depois de um dia fatigado (Mc 6.46 ; Luc 5.16)
·         Jesus orava em momentos especiais ( Lc 9.28,29)
·         Jesus orava pela equipe que trabalhava com ele (Mc 6.46-48)
·         Jesus orou no Getsemâni (Mc 14.32-39 ; Heb 5.7)
·         Jesus orou na cruz (Luc 23.34)
·         Jesus orou nos momentos finais de sua vida (Luc 23. 46)
Se Jesus que era o Filho de Deus, o Messias enviado orava constantemente imagine nós pobres homens mortais que somos pó e cinza, precisamos orar incessantemente para podermos nos manter de pé.
Eu ouvi uma frase que ficou marcada na minha vida e nunca mais me esqueci:
“Para permanecer andando de pé em direção ao alvo eu preciso primeiro aprender a andar de joelhos”.
Sem se esquecer da melodia do poeta :
“De joelho é melhor, de joelho é melhor na alegria ou na dor sempre orando ao Senhor de joelho é melhor”.
13º - Jesus não veio para dar espetáculos ele veio para cumprir sua missão
Mc 1. 36. E seguiram-no Simão e os que com ele estavam. 37. E, achando-o, lhe disseram: Todos te buscam.

Enquanto Jesus orava, todos o buscavam para que curasse suas enfermidades, expulsasse os demônios, resolvesse seus problemas, desse uma palavra de ajuda, de paz e de consolação. Eles saiam de suas casas a procura da resposta que há tanto tempo eles aguardavam. As pessoas que foram até a casa de Pedro procurar por Jesus encontraram nele respostas para os seus problemas e seus anseios que só alguém vindo do céu poderia trazer para eles. E ainda mais agora em meio a todo domínio do Império Romano, e as humilhações passadas que a Galiléia já havia vivido desde a época que foi conquistada pelo Império Assírio, Cristo era a reposta para as angústias do povo da Galiléia era o cumprimento da palavra do profeta Isaías.

Isaías 9:1 - MAS a terra, que foi angustiada, não será entenebrecida; envileceu nos primeiros tempos, a terra de Zebulom, e a terra de Naftali; mas nos últimos tempos a enobreceu junto ao caminho do mar, além do Jordão, na Galiléia das nações.

Cristo veio ara cumprir a sua missão, mudar o quadro da história da vida de toda a humanidade, transformar o caos espiritual, o abismo imensurável em uma ponte de acesso a Deus. Esta era a sua missão ele era a própria ponte, por este motivo Isaias 9 é o cumprimento de toda a espera dos galileus, era a prova cabal de que a angustia não dura para sempre ela tem um fim, era a comprovação de que tudo que Deus faz não é para nos encurvar e muito menos nos abater é para nos elevar em meio a todas as adversidades que se levantem contra nós. As trevas vão receber luz porque Jesus chegou. Quando Jesus chega às trevas não suportam a sua presença.

Isaías 9: 2 - O povo que andava em trevas, viu uma grande luz, e sobre os que habitavam na região da sombra da morte resplandeceu a luz. 3 - Tu multiplicaste a nação, a alegria lhe aumentaste; todos se alegrarão perante ti, como se alegram na ceifa, e como exultam quando se repartem os despojos. 4 - Porque tu quebraste o jugo da sua carga, e o bordão do seu ombro, e a vara do seu opressor, como no dia dos midianitas. 5 - Porque todo calçado que levava o guerreiro no tumulto da batalha, e todo o manto revolvido em sangue, serão queimados, servindo de combustível ao fogo. 6 - Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. 7 - Do aumento deste principado e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para o firmar e o fortificar com juízo e com justiça, desde agora e para sempre; o zelo do SENHOR dos Exércitos fará isto..

Jesus não veio para dar espetáculos ele veio para cumprir a sua missão, as massas queriam a sua volta para a cidade, o povo queria ver mais sinais e maravilhas da parte de Jesus. Mas Jesus sabia que a sua missão estava apenas começando, ainda tinha muito chão para percorrer, muitas terras para alcançar. E talvez os discípulos pensando que Jesus voltaria com eles, e subitamente, creio que sem eles esperarem aquela reação de Jesus Marcos nos informa.
Mc 1. 38. E ele lhes disse: Vamos às aldeias vizinhas, para que eu ali também pregue, porque para isso vim. 39. E pregava nas sinagogas deles, por toda a Galiléia, e expulsava os demônios.
Lucas já diz que a multidão queria que Jesus se ajuntasse a eles, e agora querem pará-lo para que ele não prossiga sua missão. O texto é claro eles o detinham como propriedade particular para que Jesus não se ausentassem deles. Porém Jesus veio com uma propósito específico de cumprir a sua missão, a expansão do reino na terra.
Luc 4. - 42. E, sendo já dia, saiu e foi para um lugar deserto; e a multidão o procurava e chegou junto dele; e o detinham, para que não se ausentasse deles. 43. Ele, porém, lhes disse: Também é necessário que eu anuncie a outras cidades o evangelho do Reino de Deus, porque para isso fui enviado. 44. E pregava nas sinagogas da Galiléia.
Ryle vai dizer que Jesus deixou a glória que tinha com o Pai desde toda a eternidade com a missão de ser um evangelista.

Jesus não podia para, o seu propósito eram muito maior, ele tem uma missão a cumprir, pregar a palavra e anunciar a chegada do Reino de Deus.

Nada pode nos impedir de pregarmos a palavra de Deus aos homens, anunciar o Evangelho de Jesus Cristo.

Pregue a Palavra, esteja preparado a tempo e fora de tempo. II Timóteo 4.2

Em Cristo

Pr. Ezequiel Barbosa