segunda-feira, 25 de julho de 2011

Liderança Eficaz




E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo. (Ef 4:11,12)

  1. Aperfeiçoamento dos Santos
  2. Desempenho do seu serviço
  3. Edificação do Corpo de Cristo
Paulo estava se referindo a um elo que não poderia ser quebrado ou enfraquecido ao longo do tempo. O crescimento quantitativo e qualitativo da igreja esta baseado neste elo. Pois o crescimento de uma igreja esta ligado ao número e a capacidade de seus obreiros.

Há uma frase que diz:

“Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos”.

Mas estes escolhidos precisam ser treinados, orientados, para trabalharem na seara.

Moore diz que “o plano de Deus é que a Igreja multiplique trabalhadores para a seara”

“Evangelismo – Consolidação na fé – Treinamento”

 Assim sendo, pressupõe-se que compete à igreja:

1º - Não somente ganhar vidas para Cristo,
2º - Nas também treina-las e envia-las para ganhar outras vidas.

Para continuar a termos no futuro, uma liderança eficaz, os líderes cristãos atuais devem inspirar seus seguidores com o seu testemunho de vida, e incentivá-los a se desenvolverem individualmente como futuros líderes de nossa igreja. Os líderes cristãos mais eficazes geralmente são os que dedicam tempo para identificar líderes, apoiar novos talentos e inspirar estes a participarem de seu trabalho.
”A liderança capacitadora é uma das principais marcas de qualidade das igrejas que crescem”.

“Líderes bem sucedidos concentram esforços em capacitar outras pessoas para o ministério” Schwarz
Segundo o Dr. Fernando Dalgalarrondo (psicólogo e terapêuta) em um de seus artigos sobre Liderança relata que:

 O líder moderno tem o dever de formar e revelar novos líderes, desenvolvendo sua capacidade de visão do futuro, objetivando novas maneiras de realizar seu trabalho, enfim, surpreender. Esse é um processo contínuo e não há mais dúvidas quanto à importância do capital intelectual e da influência que o ser humano tem sobre os resultados de uma organização. É alguém que possuí sabedoria e conhecimentos técnicos para desenvolver pessoas, criando à sua volta um ambiente no qual a comunicação, a coesão, a criatividade e o trabalho em equipe estão sempre presentes. O verdadeiro líder é um guia que orienta e estimula indivíduos para realizarem conjuntos de tarefas em busca do mesmo ideal”.


Deus está a procura de líderes
Deus procura líderes que estejam dispostos a poder mudar esta história da humanidade.

·         Lideres corajosos, destemidos, ágeis, com determinação para realização e 
           visão para o trabalho.
·         Líderes que sejam capazes de abdicar de suas próprias vontades e
           necessidades individuais para a realização dos objetivos definidos do reino
           de Deus.
·         Líderes que tratem bem e que valorizem as pessoas, focalizando o potencial
           destes recursos humanos.
·         Líderes que saibam administrar recursos humanos, financeiros e materiais.
·         Líderes dinâmicos, capazes de alcançar os objetivos da Seara do Mestre.
·         Líderes que saibam proporcionar satisfação àqueles que vêm para o templo
           a procura de Jesus, e principalmente saber satisfazer àqueles que
           executam o trabalho de Deus.
·         Líderes que amam a obra de Deus, que verdadeiramente são chamados
           para fazer a obra do Senhor.
·         Líderes incendiados pela chama do Espírito Santo.

Todas as igrejas possuem pessoas com habilidades de liderança em potencial, que talvez não tenham confiança e experiência. Este potencial talvez precise ser reconhecido, e incentivado através da delegação de responsabilidade, do treinamento e de oportunidades para servir.
1º - Os líderes devem dedicar tempo para o desenvolvimento de habilidades de liderança nos outros.
2º - Eles devem, acreditar no potencial das outras pessoas e estar preparados para compartilhar a responsabilidade com elas.
3º - Eles precisam oferecer tempo, comprometimento e oração para treinar e apoiar as pessoas nestas novas responsabilidades.
4º - Saber que as pessoas cometem erros. Os líderes precisam desenvolver paciência e perdão e incentivá-las a aprenderem com seus erros e continuarem.
Por que selecionar e treinar líderes?
A igreja hoje vive um crescimento avassalador. Em decorrência do crescimento nota-se uma multiplicidade de idéias e desejos que afloram entre os jovens, e várias pessoas de se tornarem futuros pastores e grandes líderes da igreja.

A pergunta é: como serão estes líderes da igreja do amanhã? Qual tem sido a formação dos futuros líderes de nossa igreja?

A geração anterior sofreu muito para que esta igreja estivesse de pé. Foram muitas lágrimas. Homens de Deus que orando, evangelizando, pregando e jejuando fizeram a história de nossa  igreja.
Porém, antes a chamada era algo marcante, poderosa na vida do homem. Ministérios profícuos e abençoadores. Mas infelizmente o que estamos vendo hoje, são obreiros com ministérios sem estrutura, insubmissos, com espírito de divisão, com desleixo pela obra de Deus. Pior ainda falta de amor pelas almas e pela igreja de Cristo. Ama o viu metal, e não as pessoas. É uma questão difícil atualmente, pessoas sem chamada nenhuma, porque foram mandadas embora do emprego, e não encontram serviço passam a dizer que tem chamada, para viver da ajuda da igreja e dos fiéis. Estão se levantando líderes mal preparados, sem estrutura, sem formação nenhuma. (Nem acadêmica, nem teológica, nem a prática do dia a dia com um homem de Deus, e nem espiritual) Aquilo que deveria ser vocação passa a ser emoção; aquilo que deveria ser altruísta passa a ser egoísta; aquilo que deveria ser alegria passa a ser angustia; aquilo que deveria ser leve passa a ser um pesado fardo. A realidade é dura, mas é a verdade que estamos vivendo hoje.
Existe até um número excessivo de pessoas que estão confundindo ministério pastoral com “ministério pessoal”. Pensam que: “A chamada é minha e não de Deus”. Pessoas que são separadas ao ministério na “cozinha” da irmã Maria, e abrem uma igreja, não com o intuito de ganhar almas , mas de arrumar a sua vida pessoal. Pensando que ser pastor, ser líder é ganhar dinheiro. Ser pastor é vocação divina, é ser chamado por Deus, para esta sublime tarefa a qual Deus é que separa e elege para o santo ministério.


Nenhum desafio da liderança secular é maior que o de encontrar líderes eclesiásticos autênticos.
VEJAMOS ALGUNS MÉTODOS DE LIDERANÇA EXISTENTES
Existem, basicamente, três métodos de liderança:
a) MÉTODO POR COAÇÃO: O líder procura coagir, forçar, obrigar a sua equipe a trabalhar. Ele não motiva, porém ameaça e amedronta. A ação é forçada e os resultados são mesquinhos.

b) MÉTODO POR PERSUASÃO: O líder procura persuadir seu grupo, insistindo, apelando, chantageando. Ele procura vence-los pelo cansaço. Geralmente, ele se cansa primeiro.

c) MÉTODO POR INDUÇÃO: O líder, devido a sua personalidade forte, capacidade, talento, entusiasmo e dinamismo, induzem, ou seja, motiva, conduz a sua equipe para o trabalho. Ele os leva a ação.
ALGUNS TIPOS CLÁSSICOS DE LIDERANÇA
Existem vários tipos de liderança. Enquanto estivermos aqui analisando os principais tipos, faça você mesmo uma auto-análise da sua liderança junto ao seu grupo, sua equipe, sua igreja ou departamento, e veja onde você se encontra e onde pretende chegar.
a) LIDERANÇA INSTITUCIONAL: É aquela liderança exercida pela força da instituição que nomeia o líder. Exemplos: Pastor, Ministro de Estado, Secretário de Governo, etc.
b) LIDERANÇA NATURAL: É aquela exercida pelas qualidades naturais indispensáveis à liderança e presentes na vida do líder.
c) LIDERANÇA DEMOCRÁTICA: É aquela liderança na qual o líder sempre procura ouvir e dar atenção aos seus liderados, envolvendo-os nas tomadas de decisões, fazendo com que todos participem das mesmas. Os resultados deste tipo de liderança são excelentes.
d) LIDERANÇA LAISSEZ-FAIRE: Esta expressão é de origem francesa e significa “deixa fazer”. Este tipo de liderança tem como lema a seguinte frase: “Deixa como estar para ver como é que fica”. Geralmente fica pior.

O Leissez-Faire é um procrastinador. Ele não orienta seus liderados, não traça planos, não toma decisões, não aponta os caminhos. Enfim, ele não faz nada.
 
e) LIDERANÇA AUTOCRÁTICA: Neste tipo de liderança, o líder procura fazer tudo sozinho. Ele não abre espaço para ninguém, não confia em ninguém, não deixa ninguém fazer nada. Considera-se o poderoso chefão, ao qual todos devem obediência cega e incontestável. Ele não valoriza o seu grupo. Valoriza apenas a si mesmo. Geralmente este tipo de líder acaba sozinho no seu sistema ditatorial.
f) LIDERANÇA PATERNALISTA: É aquele tipo de liderança na qual se trabalha motivado por simpatias e antipatias. Geralmente, este tipo de líder obtém o apoio apenas dos seus “preferidos”, e, por vezes, nem destes.
A liderança eclesiástica carrega uma responsabilidade única, que é representar Deus e Seu reino.

CARACTERÍSTICAS NEGATIVAS DO LÍDER
O maior perigo para um líder é querer racionalizar os seus próprios erros, buscar desculpá-los,  ou justifica-los, convencendo-se a si mesmo de que seus erros na realidade são acertos. As atitudes negativas são as maiores causas de fracasso do líder junto ao seu grupo ou equipe. Conhecer essas atitudes negativas e superá-las é de fundamental importância para o sucesso da sua liderança. Vencer esses obstáculos revela maturidade emocional, funcional e espiritual na vida do líder cristão.
a) Teimosia: Alguns líderes raciocinam desta maneira: “Nos outros existe teimosia, mas em mim existe firme convicção”. Teimosia é tentar manter uma posição mesmo quando ela já se evidenciou equivocada. É não querer “dar o braço a torcer”.

Algumas vezes o líder tenta pela argumentação, pela imposição ou pelo cansaço, levar o grupo a aceitar suas idéias. Isto se dá com os líderes autocráticos, ou mesmo os paternalistas quanto na tentativa de proteger seus “afilhados”.
 
b) Relutância em Delegar Atribuições: Esta é uma falha mortal na liderança, pois entra em choque com uma das funções do líder que é delegar responsabilidades. Eis algumas razões que costumam impedir o líder de distribuir responsabilidades com seus liderados:

1 – Receio de ser ofuscado por um de seus liderados
2 – Inveja de seus liderados (atestado de incompetência)
3 – Medo de perder o controle sobre o grupo
 
Estes três fatores podem ser resumidos em uma única palavra: Insegurança.
a) Atitude da Super-Competência: O líder acha que somente ele pode realizar com perfeição determinadas tarefas.
b) Falta de Visão Quanto á Hora de “Passar o Bastão”: Alguns líderes recusam-se terminantemente a aceitarem a idéia de que outra pessoa poderá, um dia, ocupar o lugar que hoje lhe pertence. Pelé soube a hora de “pendurar as chuteiras”, e ainda hoje é tido em todo o mundo como o rei do futebol.
c) Falta de Estímulo Para a Equipe: Alguns líderes agem como se seus liderados fossem na realidade seus empregados. Tudo que fazem, não passa na opinião dele, de mera obrigação. Todo liderado precisa de reconhecimento por seus esforços e dedicação. Isto é valorização da pessoa humana.
d) Julgamento Apressado ou Parcial: Lembre-se: Toda moeda tem dois lados. Nunca julgue uma questão sem estar plenamente consciente de conhecer com profundidade todos os detalhes envolvidos na mesma.

e) Nutrição de Sentimentos Negativos: Lembre-se de um ditado bastante comum, porém cheio de sabedoria: “Não é por um coice dado que se corta a pata do burro”. Não é porque alguém falhou uma vez que irá falhar sempre. Confie nas pessoas, dê novas oportunidades. Limpe seu coração de sentimentos negativos e daninhos que só fazem mal a você mesmo.
CARACTERÍSTICAS POSITIVAS DO LÍDER
a) Ambição Sadia: A ambição atua como mola propulsora de atitudes na liderança, especialmente numa sociedade consumista como a nossa. Como conciliar, porém, ambição com a nossa visão cristã?

A ambição comum é um estímulo ao desenvolvimento do “eu” como centro todas. Nossa ambição é “cristocêntrica”, pois nosso desejo deve ser tornar-nos instrumentos divinos e condutores fiéis da mensagem de Jesus.
 
b) Competência: Para Napoleão, a maior imoralidade consistia em alguém ocupar uma função para a qual não estava devidamente preparado. Competência e capacidade devem andar de mãos dadas. O conhecimento suficiente dos vários aspectos da sua esfera de ação, o colocarão a altura de realizar com competência o seu trabalho.
c) Domínio Próprio: Perder o controle ou o domínio de si mesmo é sempre a maneira mais rápida de se perder o controle e a autoridade sobre o grupo. Um líder agressivo é um fracasso como líder.
d) Conhecimento das Pessoas: Conhecer bem a personalidade das pessoas com as quais nós vamos trabalhar é tão importante quanto conhecer o próprio trabalho a ser realizado.
e) Bondade: Somente os verdadeiramente fortes são bondosos. Não existe liderança eficaz sem bondade e amor. Para se amar uma pessoa, no entanto, é necessário, conhece-la.
f) Respeito Humano: Na presença de um superior, a falta de respeito é um ato de indisciplina. Na presença de um “subordinado” a falta de respeito é um ato de covardia.
g) Espírito de Justiça: É, entre outras coisas, reconhecer lealmente seus erros e suas faltas, não procurando lança-las sobre outra pessoas. É também saber reconhecer as realizações de seus liderados, dando a eles o crédito devido e a oportunidade de desenvolverem seus potenciais.
h) Humildade: O bom líder precisa cultivar a humildade, reconhecendo suas falhas e otimizando-as. É preciso também saber reconhecer o valor individual de cada membro da sua equipe. Humildade não é contentar-se com pouco, e sim buscar o muito, mas busca-lo para melhor servir.
i) Exemplo: Queira você ou não, os olhos de todos estarão sempre voltados para você, que é o líder do grupo. Você não pode separar a sua função como líder espiritual da sua vida pessoa. “Ser-me-eis testemunhas”, disse Jesus.

j) Resistência: O líder precisa saber suportar as críticas, oposições e dificuldades. Sua equipe espera isto de você!!! Transforme as críticas em um fator de crescimento na sua liderança. Nunca as rejeite de imediato. Faça sempre uma análise imparcial das mesmas. Busque o conselho e a orientação de amigos sinceros. “Ouça tudo e retende o que for bom”.

Pr. Ezequiel Barbosa  (Rio Claro/SP)

Nenhum comentário:

Postar um comentário