sábado, 5 de novembro de 2011

5ª e 6 ª TROMBETA





QUINTA TROMBETA

1.     Começa a ira de Deus sobre os homens
2.     O abismo é aberto e soltos os demônios

Os homens que tiverem o sinal da besta serão possessos.
Não haverá morte por cinco meses.

(Lucas 8:30) - E perguntou-lhe Jesus, dizendo: Qual é o teu nome? E ele disse: Legião; porque tinham entrado nele muitos demônios.

(Lucas 8:31) -E rogavam-lhe que os não mandasse para o abismo.

O próprios demônios não queriam ser atormentados por estes demônios aprisionados

 (Apocalipse 9:1) -  E O QUINTO anjo tocou a sua trombeta, e vi uma estrela que do céu caiu na terra; e foi-lhe dada a chave do poço do abismo. (Apocalipse 9:2) - E abriu o poço do abismo, e subiu fumaça do poço, como a fumaça de uma grande fornalha, e com a fumaça do poço escureceu-se o sol e o ar. (Apocalipse 9:3) - E da fumaça vieram gafanhotos sobre a terra; e foi-lhes dado poder, como o poder que têm os escorpiões da terra. (Apocalipse 9:4) - E foi-lhes dito que não fizessem dano à erva da terra, nem a verdura alguma, nem a árvore alguma, mas somente aos homens que não têm nas suas testas o sinal de Deus. (Apocalipse 9:5) - E foi-lhes permitido, não que os matassem, mas que por cinco meses os atormentassem; e o seu tormento era semelhante ao tormento do escorpião, quando fere o homem. (Apocalipse 9:6) - E naqueles dias os homens buscarão a morte, e não a acharão; e desejarão morrer, e a morte fugirá deles.

Vi uma estrela caída do céu na terra:

João já viu uma estrela caindo do céu (8:10), mas agora ele vê uma que já caiu.

Esta estrela representa uma pessoa, pois recebe a chave do poço do abismo.

Uma estrela caída seria uma pessoa de autoridade punida ou derrotada, como aconteceu com o rei da Babilônia (Isaías 14:12).

Quando Jesus demonstrou seu poder sobre os demônios, os servos do diabo, ele disse:

 “Eu via Satanás caindo do céu como um relâmpago” (Lucas 10:18).

Em Apocalipse 12, presenciaremos a derrota de Satanás na batalha no céu, resultando na expulsão do diabo (12:7-9). Tudo sugere que a estrela caída aqui seja o próprio Satanás. Observamos o contraste entre o diabo, a estrela caída que traz trevas, e Jesus, a “brilhante Estrela da manhã” (22:16). Satanás recebe a chave do poço do abismo, mas Jesus segura a chave da morte e do inferno (1:18). Não há dúvida sobre a superioridade do poder do Cordeiro!

Saíram gafanhotos para a terra:

Gafanhotos são usados em pragas divinas.

A oitava praga no Egito foi a invasão pelos gafanhotos (Êxodo 10:1-20).

Gafanhotos aparecem entre as pragas citadas na oração de Salomão na dedicação do templo (1 Reis 8:37)

Como exemplo de praga na aliança de Deus com o filho de Davi (2 Crônicas 7:13).

Veja outros exemplos em Amós 7:1-3 e Joel 1:4.

Foi-lhes dado poder como ... escorpiões:

Os gafanhotos da quinta trombeta, porém, não são insetos que devoram plantações. Eles recebem veneno como o de escorpiões para atacar homens. Serpentes e escorpiões representam o poder do diabo (Lucas 10:19).

Esta praga de gafanhotos, com seus ferrões venenosos, atingiria homens, não plantas! Os gafanhotos são instruídos a não prejudicar nenhum tipo de planta. 

Tão-somente aos homens que não têm o selo de Deus: As vítimas deles são homens, mas somente os homens que não pertencem a Deus (7:3-8). Os homens atingidos por esta praga são aqueles que vivem nas trevas, que seguem o Diabo e suas mentiras, que perseguem os fiéis. Os servos de Deus são protegidos.

Não que os matassem, e sim que os atormentassem durante cinco meses: O efeito deste castigo não é a morte, e sim o tormento. Dura cinco meses, mostrando que o período do castigo seria determinado e limitado por Deus. Esta praga não é fatal nem final. Não causa a morte, mas traz grande sofrimento aos ímpios.

O seu tormento era como tormento de escorpião quando fere alguém: O escorpião raramente mata o homem, mas o seu veneno causa dor intensa e ataca o sistema nervoso. Os opressores do povo de Deus sofreriam muita dor, mas não seriam mortos – por enquanto.

Os homens buscarão a morte e não a acharão: Esta frase frisa a intensidade do sofrimento. A morte seria considerada um alívio da dor infligida pelos escorpiões. Jó expressou o mesmo sentimento durante a sua aflição (Jó 3:20-22), e Jeremias usou linguagem semelhante para descrever o sofrimento de Judá (Jeremias 8:3).

Terão ardente desejo de morrer, mas a morte fugirá deles: Novamente, ele enfatiza a natureza desta praga. Os gafanhotos do abismo não receberam autoridade para matar, mas causam sofrimento terrível. Mesmo procurando a morte, os homens não conseguem escapar desta praga (veja 6:16).

9:7 – O aspecto dos gafanhotos era semelhante a cavalos preparados para a peleja; na sua cabeça havia como que coroas parecendo de ouro; e o seu rosto era como rosto de homem;

O aspecto dos gafanhotos era semelhante a...: A descrição da aparência dos gafanhotos nos lembra de Joel 1:4,6; 2:4-10.

São opressores terríveis, inimigos fortes que vêm com uma força quase irresistível contra os homens.

Cavalos preparados para a peleja:

A cavalaria deu uma vantagem enorme aos exércitos antigos (1 Reis 20:1; 2 Reis 6:15).

Salomão importava cavalos do Egito para fortalecer a defesa de Israel (2 Crônicas 9:28).

Os homens sempre enfrentavam a tentação de confiar na sua força militar, representada por cavalos, ao invés de confiar em Deus (Salmo 20:7; Isaías 31:1).

Cavalos aparecem freqüentemente nas figuras proféticas de castigo e destruição:

“Eis aí que sobe o destruidor como nuvens; os seus carros, como tempestade; os seus cavalos são mais ligeiros do que as águias. Ai de nós! Estamos arruinados!” (Jeremias 4:13; veja 6:23; 8:16; 47:3; 50:42; 51:27; Ezequiel 26:11; Naum 3:2; Habacuque 1:8).

Como que coroas parecendo de ouro:

Esta é a única vez que a palavra stephanos, a coroa da vitória, aparece em relação aos ímpios.

Em todos os outros casos, mostra a vitória de Cristo ou dos santos.

Aqui, os servos do diabo dão a impressão de ser vitoriosos, mas a própria linguagem sugere uma falsa vitória: “como que coroas parecendo de ouro”.

Os servos do inimigo podem imitar a vitória dos santos, mas jamais terão a vitória final.

O seu rosto era como rosto de homem: Figuras de animais ou insetos com características humanas normalmente sugerem a inteligência. Estes servos do diabo são seres inteligentes, capazes de agir conforme as instruções do seu líder.

9:8 – tinham também cabelos, como cabelos de mulher; os seus dentes, como dentes de leão;
Cabelos, como cabelos de mulher:

Qualquer explicação reconhece uma criatura estranha.

Não são gafanhotos comuns! Os cabelos da mulher representam sua submissão (1 Coríntios 11:15). Pode significar a submissão dos gafanhotos a Satanás.

Cabelos femininos sugerem, também, a beleza, um aspecto mais suave do que a aparência das outras características.

O diabo usa coisas que parecem boas, inofensivas e atraentes para conquistar sua presa, e depois ataca com a astúcia (rosto de homem) e força (dentes de leão).

Dentes, como dentes de leão: Mais uma figura do poder destrutivo desses gafanhotos do abismo. Podem usar a inteligência e a beleza para seduzir, mas mordem com a ferocidade de um leão (1 Pedro 5:8).

9:9 – tinham couraças, como couraças de ferro; o barulho que as suas asas faziam era como o barulho de carros de muitos cavalos, quando correm à peleja;

Couraças, como couraças de ferro: Estes guerreiros do diabo estão preparados para a guerra. Eles têm condições de se defenderem na batalha contra os homens. Mesmo quando os homens resistem, 

9:10 – tinham ainda cauda, como escorpiões, e ferrão; na cauda tinham poder para causar dano aos homens, por cinco meses;

Cauda, como escorpiões, e ferrão...poder para causar dano aos homens, por cinco meses: Este versículo repete as informações dadas nos versículos 3 a 5.

Os gafanhotos com ferrões de escorpiões causariam sofrimento entre os homens durante cinco meses.

9:11 – e tinham sobre eles, como seu rei, o anjo do abismo, cujo nome em hebraico é Abadom, e em grego, Apoliom.

Seu rei, o anjo do abismo, cujo nome em hebraico é Abadom, e em grego, Apoliom:

Parece que o anjo do abismo e a estrela caída que recebeu a chave do poço do abismo são a mesma pessoa, Satanás.

Se não for o próprio diabo, certamente seria um servo dele com poder sobre outros servos.

O nome é dado em dois idiomas, e o sentido é o mesmo – Destruição ou Destruidor.

Este versículo é o único no Novo Testamento que usa estas palavras.

A palavra hebraica aparece algumas vezes no Antigo Testamento em referência à morte e à destruição (veja Jó 26:6; 28:22; 31:12; Salmo 88:11; Provérbios 15:11; 27:20). Deus cria, dá vida, edifica, causa crescimento, etc. O diabo destrói e provoca o sofrimento e a morte. “Ele foi homicida desde o princípio” (João 8:44).

O primeiro ai passou....vêm ainda dois ais:

As últimas três trombetas são os três ais anunciados pela águia (8:13).

O primeiro ai – a quinta trombeta – passou. Neste ai percebemos o poder destrutivo do pecado, a arma principal do anjo do poço do abismo.

O pecado provoca sofrimento e tormento, mesmo antes dos homens chegarem à morte.

Ainda aguardamos mais dois ais – as sexta e sétima trombetas (veja 11:14).

SEXTA TROMBETA

(Apocalipse 9:13) - E tocou o sexto anjo a sua trombeta, e ouvi uma voz que vinha das quatro pontas do altar de ouro, que estava diante de Deus, (Apocalipse 9:14) - A qual dizia ao sexto anjo, que tinha a trombeta: Solta os quatro anjos, que estão presos junto ao grande rio Eufrates. (Apocalipse 9:15) - E foram soltos os quatro anjos, que estavam preparados para a hora, e dia, e mês, e ano, a fim de matarem a terça parte dos homens. (Apocalipse 9:16) - E o número dos exércitos dos cavaleiros era de duzentos milhões; e ouvi o número deles. (Apocalipse 9:17) - E assim vi os cavalos nesta visão; e os que sobre eles cavalgavam tinham couraças de fogo, e de jacinto, e de enxofre; e as cabeças dos cavalos eram como cabeças de leões; e de suas bocas saía fogo e fumaça e enxofre.(Apocalipse 9:18) - Por estes três foi morta a terça parte dos homens, isto é pelo fogo, pela fumaça, e pelo enxofre, que saíam das suas bocas. 

9:14 – dizendo ao sexto anjo, o mesmo que tem a trombeta:

Solta os quatro anjos que se encontram atados junto ao grande rio Eufrates.

9:15 – Foram, então, soltos os quatro anjos que se achavam preparados para a hora, o dia, o mês e o ano, para que matassem a terça parte dos homens.

 “Não vos compete conhecer tempos ou épocas que o Pai reservou pela sua exclusiva autoridade” (Atos 1:7).

Os anjos são soltos para castigar os perseguidores quando Deus determina.

Para que matassem a terça parte dos homens:

Pragas que afetam a terça parte são típicas das trombetas.

  1. A primeira afetou a terça parte da terra e das plantas (8:7).
  2. A segunda atingiu a terça parte do mar, da vida marinha e das embarcações (8:8-9).
  3. A terceira prejudicou a terça parte das águas doces (8:10-11).
  4. A quarta escureceu a terça parte dos céus (8:12).
  5. Agora, a sexta traz a morte da terça parte dos homens.
  6. A quinta trombeta causou dor, mas não matou.
  7. A sexta traz a morte para alguns, mas não para todos.
9:16 – O número dos exércitos da cavalaria era de vinte mil vezes dez milhares; eu ouvi o seu número.

9:17 – Assim, nesta visão, contemplei que os cavalos e os seus cavaleiros tinham couraças cor de fogo, de jacinto e de enxofre. A cabeça dos cavalos era como cabeça de leão, e de sua boca saía fogo, fumaça e enxofre.

Os cavalos e os seus cavaleiros tinham couraças cor de fogo, de jacinto e de enxofre:

As cores das couraças são, provavelmente, vermelho (fogo), azul (jacinto) e amarelo (enxofre), e apresentam a imagem aterrorizante do exército usado como instrumento de Deus para castigar os malfeitores.

A cabeça dos cavalos era como cabeça de leão, e de sua boca saía fogo, fumaça e enxofre:

Os próprios cavalos são ferozes com o poder para trazer julgamento divino contra os opressores.

9:18 – Por meio destes três flagelos, a saber, pelo fogo, pela fumaça e pelo enxofre que saíam da sua boca, foi morta a terça parte dos homens;

Por meio destes três flagelos: O fogo, a fumaça e o enxofre são pragas usadas para castigar.Foi morta a terça parte dos homens:

9:19 – pois a força dos cavalos estava na sua boca e na sua cauda, porquanto a sua cauda se parecia com serpentes, e tinha cabeça, e com ela causavam dano.

A força dos cavalos estava na sua boca e na sua cauda:

A sua cauda se parecia com serpentes: Os cavalos chegaram com suas couraças e suas cabeças de leões, soprando as pragas de fogo, fumaça e enxofre. Deixaram para trás o sofrimento causado pelo veneno de suas caudas, que pareciam serpentes causando dano.

9:20 – Os outros homens, aqueles que não foram mortos por esses flagelos, não se arrependeram das obras das suas mãos, deixando de adorar os demônios e os ídolos de ouro, de prata, de cobre, de pedra e de pau, que nem podem ver, nem ouvir, nem andar;

Os outros homens ... não se arrependeram:

E os sobreviventes não se arrependeram dos seus pecados!

Mas não é isso a tendência dos homens, até hoje?

Mesmo quando a pessoa sofre conseqüências diretamente ligadas ao seu próprio pecado, recusa aprender a lição. Procura qualquer outra explicação, mas não admite a possibilidade de um castigo divino.

9:21 – nem ainda se arrependeram dos seus assassínios, nem das suas feitiçarias, nem da sua prostituição, nem dos seus furtos.

Os pecados condenados aqui são:

Homicídio: Desrespeito para com a vida santificada pelo Criador, um crime que merece a morte (Gênesis 9:6).

Feitiçarias: A palavra grega usada aqui, pharmakeia, aparece somente três vezes no Novo Testamento (aqui, 18:23 e Gálatas 5:20). Nossa palavra farmácia vem desta palavra, sugerindo o uso de drogas, especialmente nos encantamentos de bruxaria.

Prostituição: Relações sexuais ilícitas são, freqüentemente, ligadas à prática de idolatria (2:14,20; 1 Coríntios 10:7-8).

Furtos: A pessoa que não honra Deus, nem respeita as pessoas criadas na imagem de Deus, não tem motivo para respeitar as coisas dos outros. Quando decidimos servir a Cristo, deixamos tais práticas (Efésios 4:28; Tito 2:10).

A próxima trombeta abre o leque para o derramamento das sete taças...

Continua depois não perca ....

Nenhum comentário:

Postar um comentário