segunda-feira, 9 de abril de 2012

Endemoninhado de Cafarnaum - 3ª Parte

 



4º - Só pode cumprir o propósito da missão quem tem poder e autoridade

Marcos 1:21. Entraram em Cafarnaum e, logo no sábado, indo ele à sinagoga, ali ensinava. 22. E maravilharam-se da sua doutrina, porque os ensinava como tendo autoridade, e não como os escribas.

Naquela manhã o culto foi diferente, Jesus começou ministrar a palavra de Deus, as palavras de Jesus faziam o coração da multidão arder como fogo pela unção e autoridade que Jesus tinha. Sua explanação sobre o Antigo Testamento era diferenciada, eles ficaram maravilhados com os seus ensinos profundos e edificantes. Geralmente os sábios rabinos citavam palavras de Hillel ou Shamai que eram os mestres e ensinadores daquela época. Mas quando Jesus falava não eram apenas citações de sábios judeus, de doutores da lei de mestres da palavra. Jesus ensinava como quem tem autoridade, poder, unção, virtude e as multidões se maravilhavam com os seus ensinos. A “autoridade” dos Doutores da Lei manifestava-se no saber de todas as minúcias das leis e tradições judaicas. A autoridade de Jesus manifestava-se no seu poder e na sua autoridade de falar e de poder tocar pessoas de maneira libertadora.

1.     Jesus ensinava
2.     Maravilhavam-se dos seus ensinos
3.     Ensinava com autoridade

Embora os escribas fossem os doutores da lei eles criaram preceitos que mantinham o povo em regras legalistas escravizando o povo em doutrinas de homens e não permitia o povo deliciar-se na beleza da vida debaixo da presença de Deus.
Para os judeus a soma total dos preceitos que foram ordenados por Deus, conforme consta na Torá, é de seiscentos e treze (613). Deles, duzentos e quarenta e oito (248) são preceitos positivos e trezentos e sessenta e cinco(365) são preceitos proibitivos.
O Talmud diz que os duzentos e quarenta e oito preceitos positivos correspondem ao número de membros ou ossos do corpo humano, isto é, como se cada membro dissesse à pessoa: "Cumpra um preceito comigo"; e os trezentos e sessenta e cinco preceitos proibitivos correspondem ao número de dias no ano solar, que é como se cada dia dissesse à pessoa "Não cometa uma transgressão hoje".
A religião judaica tornou-se um pesado legalismo a ser cumprido baseado apenas em regras e não em comunhão com o Deus Eterno. Havia muita religiosidade e pouca sinceridade. Ensinavam a palavra mas de forma frívola e vazia. Não havia liberdade na adoração a Deus, apenas regras a serem cumpridas.
Este povo vivia debaixo de opressão destrutiva e caótica. Eram oprimidos por Roma, oprimidos pelo judaísmo, oprimidos pelo rigor da lei que exigia o cumprimento de seus preceitos e oprimidos pelos seus pastores, que eram os escribas. A nação vivia debaixo de um julgo opressor cruel, sem direitos só a deveres a serem cumpridos. Jesus chega trazendo com a mensagem do Reino dos céus, uma mensagem atual, verdadeira, fervente, pura, sem máscaras, sem opressão, uma mensagem libertadora e transformadora.

Jesus revoluciona a vida da nação com uma mensagem impactante e cheia de autoridade profética.

Porém Jesus também tinha outra missão desfazer as obras do diabo, aniquilar as forças das trevas, quebrar o arco e cortar a lança do inimigo de nossas almas.

Ele sabia qual era a sua missão:

1.     Anunciar o reino dos céus
2.     Desfazer as obras do diabo

Luc 4.16 - E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler. 17 - E foi-lhe dado o livro do profeta Isaías; e, quando abriu o livro, achou o lugar em que estava escrito: 18 - O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados do coração, 19 - A pregar liberdade aos cativos, E restauração da vista aos cegos, A pôr em liberdade os oprimidos, A anunciar o ano aceitável do Senhor.

Podemos dividir o texto de Isaías 61 que foi o texto lido por Jesus em Lucas 4:

Vejamos a divisão exegeticamente -  Os 5  Períodos do ministério de Jesus:

1 – Nascimento - O ESPÍRITO do Senhor DEUS está sobre mim

2 – Batismo - porque o SENHOR me ungiu

3 – Ministério - para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração

4 – Ressureição - a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos

5 – Milênio - A apregoar o ano aceitável do SENHOR e o dia da vingança do nosso Deus;       a consolar todos os tristes;

Jesus esta na terceira etapa da sua chamada, ele esta vivendo a sua missão, mas cheio do Espírito Santo. E agora ele tinha que enfrentar o seu inimigo cruel, a serpente, o destruidor, aquele que havia humilhado o homem, aquele que havia tomado o domínio do homem, aquele que havia despojado do homem da sua herança. Aquele que tirou o homem do paraíso e o destinou à morte eterna.

1 João 3:8 - Quem comete o pecado é do diabo; porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo.

E Jesus sabe disto porque João escreveu que quem comete pecado é do diabo, mas Jesus veio, Jesus chegou sua missão já começou, e os demônios sabiam disto que ele veio com um propósito desfazer as obras do diabo. Por um homem o adversário implantou o pecado no mundo, e por um homem agora o pecado tem que ser expelido do mundo. Mas este que vem agora tem um diferencial ele esta cheio do Espírito Santo. Oh Glórias, Aleluia. Jesus chegou.

Jesus tinha um diferencial para cumprir a sua missão que era desfazer as obras do diabo.

Qual era este diferencial? A unção do Espírito Santo e a autoridade divina estava sobre ele.

Ninguém desfaz as obras do inimigo sem ser cheio da unção do Espírito Santo.

Atos 10:38 - Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo bem, e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele.

Em Cristo

Seu amigo

Pr. Ezequiel Barbosa


Nenhum comentário:

Postar um comentário