quarta-feira, 20 de junho de 2012

A Cura do homem da mão mirrada - Parte 1

Tema : O seu dia vai chegar
9º Milagre: A Cura do homem da mão mirrada / da mão ressequida / atrofiada
Textos: Mateus 12.9-13; Marcos 3.1-5; Lucas 6.6-10
É necessário que você conheça primeiro todo o pano de fundo da história para que você possa entender porque a partir deste milagre o sinédrio judeu vai procurar matar Jesus. Lembre-se que tudo começou depois da cura do leproso, a chegada dos fariseus e doutores da lei em Cafarnaum e a cura do paralítico. Vamos continuar.
1.     A estudarmos este milagre precisamos entender que agora uma coisa é certa, e evidente. Os doutores da lei e escribas que foram enviados como espiões pelo Sinédrio até à casa onde Jesus estava para o observarem segundo o pedido solicitado vão regressar a Jerusalém e decretarem o movimento de Jesus  como significativo. Realmente haviam provas congruentes e lógicas segundo o Sinédrio Judaico de que ele poderia ser o Messias esperado. Alguns fariseus como Nicodemos acreditaram que ele poderia ser o Messias, tornou-se um empasse pois alguns concordavam e outros não.
2.     Após este evento, Jesus ficou sujeito à segunda fase da investigação do Sinédrio, a fase da Inquirição. Eles agora confirmaram que realmente Cristo poderia ser o Messias agora era necessário recolherem depoimentos para elucidar esta questão duvidosa.
3.     Por onde quer que Jesus fosse, um Fariseu, um escriba decerto que o seguiria, não porque era simpatizante da sua causa em favor do Reino de Deus, ou que acreditassem na sua messianidade, não, eles estavam a serviço do Sinédrio Judaico não apenas observando Jesus, não apenas recolhendo informaçãoes, mas agora questionando, inquirindo a Jesus, eles não ficariam mais em silêncio como em Marcos 2.13-28.
4.     É importante que você se relembre que na fase da observação não lhes era permitido colocar qualquer questão ou levantar qualquer objeção àquele que estava sendo observado para não atrapalhar as investigações. Estavam apenas o conhecendo. (Mt 9.3; Mc 2.6; Lc 5.21)

Mateus 9: 3 - E eis que alguns dos escribas diziam entre si: Ele blasfema.

Marcos 2: 6 - E estavam ali assentados alguns dos escribas, que arrazoavam em seus corações, dizendo:

Lucas 5: 21 - E os escribas e os fariseus começaram a arrazoar, dizendo: Quem é este que diz blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão só Deus?

Após um período de observação, deviam voltar então para Jerusalém, reportar ao Sinédrio e dar um veredito de análise final: se o movimento messiânico era significativo ou não? Se ele é ou não o Messias esperado?

Se fosse decretado que o movimento era insignificante, a questão terminaria ali.

Mas se o movimento fosse determinado significativo, então haveria uma Segunda fase de investigação chamada a “fase da inquirição”.

Os adversários, os perseguidores, os analisadores são professores da lei, não são meros homens, eram os homens mais respeitados de Israel.

De acordo com Marcos 2:6 - E estavam ali assentados alguns dos escribas, que arrazoavam em seus corações, dizendo:

Lucas 5: 17 - E aconteceu que, num daqueles dias, estava ensinando, e estavam ali assentados fariseus e doutores da lei, que tinham vindo de todas as aldeias da Galiléia, e da Judéia, e de Jerusalém. E a virtude do Senhor estava com ele para curar.

Agora eles vão perseguir Jesus, vão armar para Jesus, vão questioná-lo. O movimento , não era mais um dos vários que já haviam aparecido, este tinha lógica e estava baseado em algumas verdades com vereditos fortíssimos, e os indicíos de probabilidade são reais. O movimento messiânico de Jesus tem bases patentes e reais.

Tudo gerava em questões de conceitos, e o que eles nunca entenderam é que Jesus de Nazaré era 100% homem, mas também era 100% Deus. Ele era Senhor absoluto e estava no controle de todas as coisas.

É de suma importância que você tenha em mente que os milagres de Jesus não tinham objetivo de mostrar Jesus como Deus, mas apresentá-lo como o Messias, o Cristo, o Ungido de Deus. Jesus não era um libertador político como eles queriam, não era um líder apenas para a etnia israelita, ele é Senhor de todos e para todos.

Com isso havia conceitos muito forte que só Deus poderia tratar entre eles:

1.     Somente Deus pode perdoar pecados

2.     Um homem santo não pode se misturar com pecadores

3.     Os princípios da lei com relação ao jejum

4.     O sábado pertence a Deus

Estas questões de discórdia destes homens com Jesus se baseiam em quatro palavras-chave:

1.     Pecado (2.1-12),

Marcos 2: 1 - E ALGUNS dias depois entrou outra vez em Cafarnaum, e soube-se que estava em casa. 2 - E logo se ajuntaram tantos, que nem ainda nos lugares junto à porta cabiam; e anunciava-lhes a palavra. 3 - E vieram ter com ele conduzindo um paralítico, trazido por quatro. 4 - E, não podendo aproximar-se dele, por causa da multidão, descobriram o telhado onde estava, e, fazendo um buraco, baixaram o leito em que jazia o paralítico. 5 - E Jesus, vendo a fé deles, disse ao paralítico: Filho, perdoados estão os teus pecados. 6 - E estavam ali assentados alguns dos escribas, que arrazoavam em seus corações, dizendo: 7 - Por que diz este assim blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão Deus? 8 - E Jesus, conhecendo logo em seu espírito que assim arrazoavam entre si, lhes disse: Por que arrazoais sobre estas coisas em vossos corações? 9 - Qual é mais fácil? dizer ao paralítico: Estão perdoados os teus pecados; ou dizer-lhe: Levanta-te, e toma o teu leito, e anda? 10 - Ora, para que saibais que o Filho do homem tem na terra poder para perdoar pecados (disse ao paralítico), 11 - A ti te digo: Levanta-te, toma o teu leito, e vai para tua casa. 12 - E levantou-se e, tomando logo o leito, saiu em presença de todos, de sorte que todos se admiraram e glorificaram a Deus, dizendo: Nunca tal vimos.

2.     Pecador (2.13-17),

Marcos 2: 13 - E tornou a sair para o mar, e toda a multidão ia ter com ele, e ele os ensinava. 14 - E, passando, viu Levi, filho de Alfeu, sentado na recebedoria, e disse-lhe: Segue-me. E, levantando-se, o seguiu. 15 - E aconteceu que, estando sentado à mesa em casa deste, também estavam sentados à mesa com Jesus e seus discípulos muitos publicanos e pecadores; porque eram muitos, e o tinham seguido. 16 - E os escribas e fariseus, vendo-o comer com os publicanos e pecadores, disseram aos seus discípulos: Por que come e bebe ele com os publicanos e pecadores? 17 - E Jesus, tendo ouvido isto, disse-lhes: Os sãos não necessitam de médico, mas, sim, os que estão doentes; eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores ao arrependimento.

3.     Jejum (2.18-22)

Marcos 2: 18 - Ora, os discípulos de João e os fariseus jejuavam; e foram e disseram-lhe: Por que jejuam os discípulos de João e os dos fariseus, e não jejuam os teus discípulos? 19 - E Jesus disse-lhes: Podem porventura os filhos das bodas jejuar enquanto está com eles o esposo? Enquanto têm consigo o esposo, não podem jejuar; 20 - Mas dias virão em que lhes será tirado o esposo, e então jejuarão naqueles dias. 21 - Ninguém deita remendo de pano novo em roupa velha; doutra sorte o mesmo remendo novo rompe o velho, e a rotura fica maior. 22 - E ninguém deita vinho novo em odres velhos; doutra sorte, o vinho novo rompe os odres e entorna-se o vinho, e os odres estragam-se; o vinho novo deve ser deitado em odres novos.

4.     Sábado (2.23-28; 3.1-6).

Marcos 2: 23 - E aconteceu que, passando ele num sábado pelas searas, os seus discípulos, caminhando, começaram a colher espigas. 24 - E os fariseus lhe disseram: Vês? Por que fazem no sábado o que não é lícito? 25 - Mas ele disse-lhes: Nunca lestes o que fez Davi, quando estava em necessidade e teve fome, ele e os que com ele estavam? 26 - Como entrou na casa de Deus, no tempo de Abiatar, sumo sacerdote, e comeu os pães da proposição, dos quais não era lícito comer senão aos sacerdotes, dando também aos que com ele estavam? 27 - E disse-lhes: O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado. 28 - Assim o Filho do homem até do sábado é Senhor.

Baseados nestes conceitos da lei judaica, Jesus quebrava todos os protocolos existentes na mente deles, naquilo que eles aprenderam durante anos e jamais conseguiriam entender as atitudes e palavras do homem Jesus e muito menos ele como Deus.

Sendo assim eles vão passar a observar Jesus de perto.

Só observar Jesus não mudará a sua vida, você precisa crer nele. 

Hebreus 11: 6 - Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.

Havia um impasse, pois Jesus contrariava era contrário aos preceitos dos fariseus e dos saduceus.

1.     As palavras de Jesus contrariavam – Pois ele se dizia ser Deus e queria perdoar os pecados da humanidade.

Como já falamos sobre este ponto não vou tecer comentários, mas o objetivo maior de Jesus à terra foi este perdoar os pecados para que o homem pudesse se relacionar novamente com Deus.

Marcos 2: 1 - E ALGUNS dias depois entrou outra vez em Cafarnaum, e soube-se que estava em casa. 2 - E logo se ajuntaram tantos, que nem ainda nos lugares junto à porta cabiam; e anunciava-lhes a palavra. 3 - E vieram ter com ele conduzindo um paralítico, trazido por quatro. 4 - E, não podendo aproximar-se dele, por causa da multidão, descobriram o telhado onde estava, e, fazendo um buraco, baixaram o leito em que jazia o paralítico. 5 - E Jesus, vendo a fé deles, disse ao paralítico: Filho, perdoados estão os teus pecados. 6 - E estavam ali assentados alguns dos escribas, que arrazoavam em seus corações, dizendo: 7 - Por que diz este assim blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão Deus? 8 - E Jesus, conhecendo logo em seu espírito que assim arrazoavam entre si, lhes disse: Por que arrazoais sobre estas coisas em vossos corações? 9 - Qual é mais fácil? dizer ao paralítico: Estão perdoados os teus pecados; ou dizer-lhe: Levanta-te, e toma o teu leito, e anda? 10 - Ora, para que saibais que o Filho do homem tem na terra poder para perdoar pecados (disse ao paralítico), 11 - A ti te digo: Levanta-te, toma o teu leito, e vai para tua casa. 12 - E levantou-se e, tomando logo o leito, saiu em presença de todos, de sorte que todos se admiraram e glorificaram a Deus, dizendo: Nunca tal vimos.


2.     As escolhas de Jesus contrariavam os fariseus e doutores da lei

Jesus já havia começado a separação dos homens que fariam parte de sua equipe ministerial. Entre estes Jesus vai escolher Levi ou Mateus que mais tarde seria discípulo e escritor do Evangelho de Mateus.

As escolhas de Jesus eram adversas aos pensamentos dos fariseus e dos doutores da lei. Mateus era um publicano. Estes publicanos eram um tipo de coletores de impostos a favor do império romano. Eram odiados pelos judeus. Eram considerados traidores, uma vez que muitos deles eram também judeus, e comparados aos piores pecadores. Jesus dá uma razão a mais para que os principais líderes religiosos não o suportassem, Jesus agora se relaciona com publicanos, pois segundo eles, os publicanos eram a escória da sociedade.

Uma das escolhas de Jesus era um absurdo, era ilógico, era contra as regras e os princípios éticos. Mateus era coletor de impostos, tratado como escória para os judeus. Eram odiados pelo povo judeu e Jesus ainda vai comer na casa dele junto com outros “pecadores”. Para um judeu se relacionar na mesa com alguém tinha uma importância extraordinária, mesa era lugar de comunhão, era um altar divino de intimidade. Jesus estava dizendo que se relacionava com publicanos e que queria uma intimidade mais profunda com eles.

Como o Messias que era santo e puro iria querer amizade com a escória e com os pecadores? Jesus é maravilhoso. Ele não faz acepção de ninguém ele se assenta na mesa com todos aqueles que queiram ele perto.

Marcos 2: 13 - E tornou a sair para o mar, e toda a multidão ia ter com ele, e ele os ensinava. 14 - E, passando, viu Levi, filho de Alfeu, sentado na recebedoria, e disse-lhe: Segue-me. E, levantando-se, o seguiu. 15 - E aconteceu que, estando sentado à mesa em casa deste, também estavam sentados à mesa com Jesus e seus discípulos muitos publicanos e pecadores; porque eram muitos, e o tinham seguido. 16 - E os escribas e fariseus, vendo-o comer com os publicanos e pecadores, disseram aos seus discípulos: Por que come e bebe ele com os publicanos e pecadores? 17 - E Jesus, tendo ouvido isto, disse-lhes: Os sãos não necessitam de médico, mas, sim, os que estão doentes; eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores ao arrependimento.

Eles não têm coragem de perguntar a Jesus e perguntam aos discípulos, mas Jesus ouviu as palavras deles e a resposta de Jesus à acusação foi categórica a eles, dizendo que os que eram sãos não precisavam de médicos, pois os são eram eles os fariseus homens “santos, puros e sem pecados”. Jesus veio mesmo para se assentar na mesa com os doentes, e com os enfermos. Jesus veio para todos aqueles que se consideram pobres pecadores arrependidos de seus pecados que necessitam de serem salvos. Homens e mulheres que precisam de Jesus porque reconhecem que são exclusivamente dependentes da sua graça e misericórdia.

Continua na próxima

Pr. Ezequiel Barbosa

@ezequielbarbosa

Nenhum comentário:

Postar um comentário