sexta-feira, 22 de junho de 2012

A Cura do homem da mão mirrada - Parte 3

1° - Era dia de Sábado e Jesus vai até o culto da Sinagoga na Galiléia
(Mateus 12:9) - E, partindo dali, chegou à sinagoga deles.
Jesus tinha um desejo intenso de estar na Casa de seu Pai. Todas as vezes que ele podia ele estava na sinagoga que era o lugar onde eles cultuavam a Deus e, estudavam a palavra de Deus. Naquele período a Lei e os Profetas. Eu acho interessante maneira como Mateus coloca a expressão da palavra, que Jesus havia chegado à sinagoga deles. A casa era de Deus, um dos motivos que a sinagoga fora criada era para ser lugar de adoração à Deus. Porém neste dia ela seria um tribunal de justiça. Jesus estava entrando em território hostil, em campo minado pois a sinagoga era território deles. Dos fariseus, dos escribas, dos saduceus que eram os doutores da lei.
Lucas faz questão de enfatizar que Jesus entrou no dia de Sábado na sinagoga:
(Lucas 6:6) - E aconteceu também noutro sábado, que entrou na sinagoga, e estava ensinando;
Era um dia de Sábado – Shabat – Descanso – Repouso – Celebração – Adoração
Jesus vai à sinagoga no Sábado. Porque para Jesus o sábado era um dia de descanso, mas também um dia de celebração, de alegria e de adoração. Jesus ensinava que o sábado foi criado em benefício das pessoas e não as pessoas para o sábado.
Deus havia instituído o sábado para ser um dia cúltico, separado para a adoração, um dia especial para o povo. Não um dia pesado, cheio de normas ritualísticas mascaradas pela hipocrisia da religião. Os líderes religiosos daquele tempo cumpriam a lei sabática com exageros, transformando o sábado em um legalismo sufocante querendo silenciar a celebração real do sábado que era de adorar a Deus.
O sábado para o judeu tem um significado muito importante. Era o dia do descanso – Ex 20. 8-11;
Êxodo 20: 8 - Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. 9 - Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra. 10 - Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas. 11 - Porque em seis dias fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o SENHOR o dia do sábado, e o santificou.
Êxodo 31: 12 - Falou mais o SENHOR a Moisés, dizendo: 13 - Tu, pois, fala aos filhos de Israel, dizendo: Certamente guardareis meus sábados; porquanto isso é um sinal entre mim e vós nas vossas gerações; para que saibais que eu sou o SENHOR, que vos santifica. 14 - Portanto guardareis o sábado, porque santo é para vós; aquele que o profanar certamente morrerá; porque qualquer que nele fizer alguma obra, aquela alma será eliminada do meio do seu povo. 15 - Seis dias se trabalhará, porém o sétimo dia é o sábado do descanso, santo ao SENHOR; qualquer que no dia do sábado fizer algum trabalho, certamente morrerá. 16 - Guardarão, pois, o sábado os filhos de Israel, celebrando-o nas suas gerações por aliança perpétua. 17 - Entre mim e os filhos de Israel será um sinal para sempre; porque em seis dias fez o SENHOR os céus e a terra, e ao sétimo dia descansou, e restaurou-se.
Levítico 23: 3 - Seis dias trabalho se fará, mas o sétimo dia será o sábado do descanso, santa convocação; nenhum trabalho fareis; sábado do SENHOR é em todas as vossas habitações.
Deuteronômio 5: 12 - Guarda o dia de sábado, para o santificar, como te ordenou o SENHOR teu Deus. 13 - Seis dias trabalharás, e farás todo o teu trabalho. 14 - Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR teu Deus; não farás nenhum trabalho nele, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu boi, nem o teu jumento, nem animal algum teu, nem o estrangeiro que está dentro de tuas portas; para que o teu servo e a tua serva descansem como tu; 15 - Porque te lembrarás que foste servo na terra do Egito, e que o SENHOR teu Deus te tirou dali com mão forte e braço estendido; por isso o SENHOR teu Deus te ordenou que guardasses o dia de sábado.
O propósito de Deus era a observação de um dia para a adoração ao Senhor Deus, era que Israel reconhecesse que Deus tinha que ser adorado pelo menos um dia. Era descansar do trabalho para adorar, parar de fazer tudo para adorar, reflexionar, pensar em Deus, pensar nas coisas de Deus, agradecer pelos benefícios de Deus, relembrar as promessas do Senhor, se alegrar em Deus, o dia glorioso que seria reservado exclusivamente para Deus. E não para observar como detetive a vida dos outros. Imagina no coração de Deus seria um dia lindo de parar tudo para poder levar toda a família a adorar ao único e verdadeiro Deus. Era o dia em que toda a nação de Israel parava para adorar ao Deus Eterno. Para Deus o que importava não era os rituais, não eram as regras e nem as imposições era a adoração. Era um dia que o povo iria entregar o mais puro louvor ao Eterno.
Mas ainda haviam alguns adoradores sinceros, homens e mulheres que verdadeiramente separavam este dia para adoração a Deus. Pois como Deus finalizou a sua obra e coroou colocando um ponto final e descansando no sétimo dia, assim Deus queria que seu povo descansasse em seus braços. No outro dia Deus começou uma nova história, é o começo de um novo tempo, era a virada de página para um texto novo. Assim Deus queria fazer com o seu povo dar a eles no outro dia um novo tempo, uma página viraria e uma nova história iria ser escrita. O sábado seria o dia de virar a página, de sair do cativeiro, de entrar em um novo plano dimensional. Porque passou um dia na presença de Deus algo novo já estaria reservado para o outro dia.
O que é o Sábado ? Cristo o nosso descanso, motivo da nossa adoração, a virada da página da nossa história.
Colossenses 2: 16 - Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, 17 - Que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo.
Para um verdadeiro adorador  o sábado era um dia de adoração , de celebração era o dia da virada da página – Eles iam para a sinagoga dizendo - “Vamos virar a página, e começar uma nova história”.
Este é o verdadeiro significado do sábado, ou shabat, pois todas as vezes que ele se manifesta indica o fim de um tempo e começo de outro, é o virar de uma página.
Imaginem que culto deve ter sido naquele sábado de adoração, os fariseus presentes junto com os escribas aguardando a chegada de Jesus. Penso eu que tudo já estava armado e esquematizado com os chefes da sinagoga. Com certeza Jesus iria chegar e ao chegar eles disseram que ele iria ensinar na sinagoga aquele dia de sábado. Não é porque gostavam dos ensinos de Jesus, não é porque eram admiradores de Jesus, era para apanhar Jesus em uma situação constrangedora diante de todos, em suas palavras ou atitudes. Os lideres religiosos estavam vigiando Jesus a todo tempo, como cão de caça e como detetives. Eles o observavam atentamente. Para eles Jesus não observava as leis do sábado e segundo eles isto já estava comprovado e já era motivo suficiente para pegar Jesus em flagrante.
Jesus estava ensinando na sinagoga, e os olhos daqueles homens estavam fixados em Jesus, os ouvidos atentos, não para prestar atenção na voz de Deus e nem para estar atento às ações de Deus mas para poder massacrar o próprio Deus.
2º - Havia ali na sinagoga um homem com a mão ressequida que foi para sinagoga adorar a Deus
1.     Os textos sinóticos (Mat, Marc e Luc ) fazem questão de relatar que naquele culto havia um homem com um problema terrível -  ele tinha uma mão mirrada , ressequida ou atrofiada.
Mt 12. 9 - E, partindo dali, chegou à sinagoga deles. 10 - E, estava ali um homem que tinha (uma das mãos mirrada); e eles, para o acusarem, o interrogaram, dizendo: É lícito curar nos sábados?
Marcos 3: 1 - E OUTRA vez entrou na sinagoga, e estava ali um homem que tinha (uma das mãos mirrada).
(Lucas 6:6) - E aconteceu também noutro sábado, que entrou na sinagoga, e estava ensinando; e havia ali um homem que tinha a (mão direita mirrada).
2.     Mão ressequida era literalmente seca, sem condições de ser usada.

3.     Somente Lucas que era médico fala que a mão ressequida, mirrada e enferma , era a mão direita.
(Lucas 6:6) - E aconteceu também noutro sábado, que entrou na sinagoga, e estava ensinando; e havia ali um homem que tinha a (mão direita) mirrada.
O que este homem estava fazendo na sinagoga se ele estava enfermo?
Mt 12. 9 - E, partindo dali, chegou à sinagoga deles. 10 - E, estava ali um homem que tinha uma das mãos mirrada; e eles, para o acusarem, o interrogaram, dizendo: É lícito curar nos sábados?
Marcos 3: 2 - E estavam observando-o se curaria no sábado, para o acusarem. Marcos 3: 3 - E disse ao homem que tinha a mão mirrada: Levanta-te e vem para o meio.4 - E perguntou-lhes: É lícito no sábado fazer bem, ou fazer mal? salvar a vida, ou matar? E eles calaram-se.
Lucas 6: 7 - E os escribas e fariseus observavam-no, se o curaria no sábado, para acharem de que o acusar. 8 - Mas ele bem conhecia os seus pensamentos; e disse ao homem que tinha a mão mirrada: Levanta-te, e fica em pé no meio. E, levantando-se ele, ficou em pé.
As opiniões são vastas aqui, alguns estudiosos acreditam que este homem foi implantado pelos próprios fariseus para apanharem e acusarem Jesus. Outros acreditam que Jesus deu a cara para bater de propósito. Apontou, e revelou o homem da mão mirrada deixando os fariseus atônitos e assombrados. Segundo alguns teólogos aquele homem estava enfermo e ele não poderia estar ali, então ele entra escondido sem ninguém ver só para adorar ao Senhor Deus e ouvir a sua palavra. Se foram os fariseus que o implantaram eles cometeram uma blasfêmia, pois seria um absurdo os fariseus colocarem alguém doente, pois todo doente era considerado maldição, e jamais no conceito deles poderia estar dentro da sinagoga que era um lugar de adoração. Uma coisa nós temos certeza Jesus estava presente e iria agir de uma forma toda especial naquele dia.
Vamos entender os textos sinóticos
Jesus foi a sinagoga
Mt 12. 9 - E, partindo dali, chegou à sinagoga deles.
O homem foi à sinagoga
Mt 12. 10 - E, estava ali um homem que tinha uma das mãos mirrada;
Os fariseus também foram à sinagoga
Marcos 3: 2 - E estavam observando-o se curaria no sábado, para o acusarem.
Jesus esta ensinando na sinagoga
(Lucas 6:6) - E aconteceu também noutro sábado, que entrou na sinagoga, e estava ensinando;
Os fariseus vão fazer uma pergunta no meio do ensino de Jesus
Mt 12. 9 - ...e eles, para o acusarem, o interrogaram, dizendo: É lícito curar nos sábados?
Os fariseus querem acusá-lo
É aqui que muitos teólogos acreditam que os fariseus sabiam que o homem da mão mirrada estava lá ou o haviam implantado dentro da sinagoga pela certeza que queriam acusá-lo se Jesus o curasse.
Mas como ele curaria se nenhum enfermo poderia entrar na sinagoga a não ser escondido?
Observe a certeza dos fariseus.
Marcos 3: 2 - E estavam observando-o se curaria no sábado, para o acusarem.
Lucas 6: 7 - E os escribas e fariseus observavam-no, se o curaria no sábado, para acharem de que o acusar.
Outros acreditam que os fariseus sabiam que muitos poderiam ir escondidos acreditando em um milagre da parte de Deus. Então ficaram na expectativa do que Jesus faria.
Jesus sabia a intenção deles, e os pensamentos malignos deles. As intenções acusatórias de encontrarem em Jesus alguma falha para o acusarem.
Lucas 6: 8 - Mas ele bem conhecia os seus pensamentos.
Jesus então aceita o desafio...
Pr. Ezequiel Barbosa
@ezequielbarbosa.com

2 comentários:

  1. Acabo de vir de um culto onde foi ministrada a palavra tendo como referencia este episódio. O ponto que me chamou a atenção foi o pregador dizendo ter recebido "revelação" de Deus, aponta a doença do homem como lepra na mão direita. O que me causa espanto é que a Bíblia revela cura de lepra, e nesse caso específico o relato é feito por Lucas, um médico. Poderia Lucas ter feito uma descrição errada como médico, mencionando uma mão mirrada, ressequida e não ter atestado uma lepra? meu e-mail é mariosmiranda@hotmail.com. se possível envie-me resposta. A paz de Cristo.

    ResponderExcluir
  2. gostei ajudou muito :D deus abençoe

    ResponderExcluir