quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Cura de um endemoninhado cego e mudo - Parte 5





Texto: Mat 12.22-32 / Mc 3. 20-29 / Lc 11.14-28 
Tema : Cura de um endemoninhado cego e mudo

  


O termo blasfêmia pode ser geralmente definido como “irreverência desafiante”. 

Desafiar a Deus, desafiar a Jesus, resistir, ofender, maltratar tudo isso é estar blasfemando.

Aplicaríamos o termo a pecados como amaldiçoar a Deus, ou, propositadamente, degradar coisas relativas a Deus. Também o é atribuir mal a Deus, ou negar atribuir-lhe algum bem devido. 

Este termo é usado na Bíblia para indicar esse tipo de declaração de desafeto, de oposição, de maltrato:

1.     Contra os homens (Ap 2:9) - Conheço as tuas obras, e tribulação, e pobreza (mas tu és rico), e a blasfêmia dos que se dizem judeus, e não o são, mas são a sinagoga de Satanás.
2.     Contra o Diabo (Jd 9) - Mas o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo, e disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: O Senhor te repreenda.
3.     Contra Deus (Ez 35:12).- E saberás que eu, o SENHOR, ouvi todas as tuas blasfêmias, que proferiste contra os montes de Israel, dizendo: Já estão assolados, a nós nos são entregues por pasto.

1º - A blasfêmia contra o nome de Deus (era pecado) imperdoável no Antigo Testamento 

(Levítico 24:10) - E apareceu, no meio dos filhos de Israel o filho de uma mulher israelita, o qual era filho de um homem egípcio; e o filho da israelita e um homem israelita discutiram no arraial. (Levítico 24:11) - Então o filho da mulher israelita blasfemou o nome do SENHOR, e o amaldiçoou, por isso o trouxeram a Moisés; e o nome de sua mãe era Selomite, filha de Dibri, da tribo de Dã. (Levítico 24:12) - E eles o puseram na prisão, até que a vontade do SENHOR lhes pudesse ser declarada. (Levítico 24:13) - E falou o SENHOR a Moisés, dizendo: (Levítico 24:14) - Tira o que tem blasfemado para fora do arraial; e todos os que o ouviram porão as suas mãos sobre a sua cabeça; então toda a congregação o apedrejará.(Levítico 24:15) - E aos filhos de Israel falarás, dizendo: Qualquer que amaldiçoar o seu Deus, levará sobre si o seu pecado. (Levítico 24:16) - E aquele que blasfemar o nome do SENHOR, certamente morrerá; toda a congregação certamente o apedrejará; assim o estrangeiro como o natural, blasfemando o nome do SENHOR, será morto.

2º - Paulo blasfemou contra Cristo e foi perdoado (matou, assassinou crianças, prendeu crentes)

 (I Timóteo 1:13) -  A mim, que dantes fui blasfemo, e perseguidor, e injurioso; mas alcancei misericórdia, porque o fiz ignorantemente, na incredulidade.

Paulo sabia que pela fé em Cristo, e pelo poder purificador do sangue de Jesus ele obteve perdão.

(Atos 26:9) - Bem tinha eu imaginado que contra o nome de Jesus Nazareno devia eu praticar muitos atos; (Atos 26:10) - O que também fiz em Jerusalém. E, havendo recebido autorização dos principais dos sacerdotes, encerrei muitos dos santos nas prisões; e quando os matavam (eu dava o meu voto) contra eles. (Atos 26:11) - E, castigando-os muitas vezes por todas as sinagogas, os obriguei a blasfemar. E, enfurecido demasiadamente contra eles, até nas cidades estranhas os persegui. 

3º - Os fariseus e escribas julgaram Jesus digno de morte porque “Jesus dizia que era Deus” e isto para eles era blasfêmia (Jesus vai falar de um novo tempo ; o tempo da graça)

(Marcos 2:7) - Por que diz este assim blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão Deus?

(João 10:31) - Os judeus pegaram então outra vez em pedras para o apedrejar. (João 10:32) - Respondeu-lhes Jesus: Tenho-vos mostrado muitas obras boas procedentes de meu Pai; por qual destas obras me apedrejais? (João 10:33) - Os judeus responderam, dizendo-lhe: Não te apedrejamos por alguma obra boa, mas pela blasfêmia; porque, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo. (João 10:34) - Respondeu-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei: Eu disse: Sois deuses? (João 10:35) - Pois, se a lei chamou deuses àqueles a quem a palavra de Deus foi dirigida (e a Escritura não pode ser anulada), (João 10:36) - Àquele a quem o Pai santificou, e enviou ao mundo, vós dizeis: Blasfemas, porque disse: Sou Filho de Deus? (João 10:37) - Se não faço as obras de meu Pai, não me acrediteis. (João 10:38) - Mas, se as faço, e não credes em mim, crede nas obras; para que conheçais e acrediteis que o Pai está em mim e eu nele. (João 10:39) - Procuravam, pois, prendê-lo outra vez, mas ele escapou-se de suas mãos,

BLASFEMIA CONTRA O ESPIRITO SANTO

(Lucas 12:10) - E a todo aquele que disser uma palavra contra o Filho do homem ser-lhe-á perdoada, mas ao que blasfemar contra o Espírito Santo não lhe será perdoado.

(Mateus 12:31) - Portanto, eu vos digo: Todo o pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens. (Mateus 12:32) - E, se qualquer disser alguma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem no futuro.

(Marcos 3:28) - Na verdade vos digo que todos os pecados serão perdoados aos filhos dos homens, e toda a sorte de blasfêmias, com que blasfemarem; (Marcos 3:29) - Qualquer, porém, que blasfemar contra o Espírito Santo, nunca obterá perdão, mas será réu do eterno juízo 

Analisamos então sobre a blasfêmia vamos então entender melhor a blasfêmia contra o Espírito Santo.

Na história da Igreja Primitiva, muitos estudiosos emitiram seus pareceres neste assunto:

Irineu - era a rejeição do evangelho;

Atanásio - era a negação da divindade de Cristo, a qual foi evidenciada ao homem pela concepção do Espírito Santo;

Orígenes - era toda a quebra da lei após o batismo.

Agostinho - era a dureza do coração humano rejeitando a obra de Cristo.

Burge - era atribuir as coisas boas de Deus a um ato de Satanás;

Davis - atribuir os milagres de Cristo a influência de Satanás.

Nos textos bases que lemos , o Senhor Jesus está dizendo a seus antagonistas, os que são contra ele, que atribuir a Satanás tudo que tem sido operado pelo poder do Espírito Santo, (é demonstrar uma visão moral tão distorcida que já não existe mais nenhuma esperança de recuperação).

Os adversários do Senhor (blasfemavam consciente, proposital e seguidamente), dizendo que Ele operava milagres pelo poder de Satanás.

(Mateus 9:32) - E, havendo-se eles retirado, trouxeram-lhe um homem mudo e endemoninhado. (Mateus 9:33) - E, expulso o demônio, falou o mudo; e a multidão se maravilhou, dizendo: Nunca tal se viu em Israel. (Mateus 9:34) - Mas os fariseus diziam: Ele expulsa os demônios pelo príncipe dos demônios.

(Mateus 12:22) - Trouxeram-lhe, então, um endemoninhado cego e mudo; e, de tal modo o curou, que o cego e mudo falava e via. (Mateus 12:23) - E toda a multidão se admirava e dizia: Não é este o Filho de Davi? (Mateus 12:24) - Mas os fariseus, ouvindo isto, diziam: Este não expulsa os demônios senão por Belzebu, príncipe dos demônios.

Os fariseus, tendo testemunhado inúmeras provas irrefutáveis que Jesus fazia milagres no poder do Espírito Santo, afirmaram que, tudo o que acontecia por intermédio de Jesus era ao contrário, o Senhor estava possuído por algo que não era divino, algo que não era celeste era maligno, eles afirmam categoricamente que Jesus faz tudo aquilo apoiado e auxiliado pelo demônio “Belzebu”. Com isso a ideia que eles querem passar é que  é inaceitável que ele seja o Messias,  enviado de Deus.

A resposta de Jesus a eles é esta:

Mateus 12: 31 - Portanto, eu vos digo: Todo o pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens. 32 - E, se qualquer disser alguma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem no futuro.

Quando Jesus fala da blasfêmia contra o Espírito Santo ele fala do único que convence o homem da justiça, do pecado, e do juízo.

Jesus está falando de um novo tempo ; de uma nova aliança “do tempo da graça” ; da dispensação do Espírito Santo.

Só o Espírito Santo pode ligar o homem a Deus novamente, se o ofendermos deliberadamente atribuindo aos demônios o que ele faz estamos blasfemando contra ele.

Adolf Pohl diz que o monte mais alto da maldade é sobrepujado pelo cume da graça de Deus.

Ele esta dizendo que todos os pecados são perdoados, ou seja, não existe pecado que Deus não possa perdoar. Preste muita atenção todos os pecados Jesus nos perdoa.

Na Bíblia não existe o mar do esquecimento, e muitas vezes na ênfase da mensagem e da ministração da palavra nós até citamos:

- Deus lançou os meus pecados no mar do esquecimento, e ainda colocou uma placa proibido pescar.

Esta errado pastor esta expressão? Absolutamente não, ela não é bíblica mas é poética.

Veja o que a Bíblia diz :

1.     Todos os nossos pecados são lançados no mar.

Miqueias diz que Deus lança os nossos pecados nas profundezas do mar

Miquéias 7: 18 - Quem é Deus semelhante a ti, que perdoa a iniqüidade, e que passa por cima da rebelião do restante da sua herança? Ele não retém a sua ira para sempre, porque tem prazer na sua benignidade. 19 - Tornará a apiedar-se de nós; sujeitará as nossas iniqüidades, e tu lançarás todos os seus pecados nas profundezas do mar.


2.     Todos os nossos pecados são lançados no esquecimento.

Isaías diz que Deus apaga as nossas transgressões

Isaías 43: 25 - Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim, e dos teus pecados não me lembro.

O mesmo texto diz que Deus não se lembra de nossos pecados
Isaías 43: 25 - Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim, e dos teus pecados não me lembro.

Se você juntar o mar , com o esquecimento significa que Deus desaparece, aniquila, elimina os nossos pecados lançando longe de sua mente que é santa.

Vou repetir portanto não importa o que você fez no passado, ou no presente , TODOS OS SEUS PECADOS SÃO PERDOADOS PELO SANGUE DE JESUS.

Porém preste a atenção:

Neste texto  Jesus faz referência à pessoa do Espírito Santo, ele diz que a blasfêmia contra o Espírito Santo não tem perdão.

O Espírito Santo é a maior dádiva que Deus poderia dar ao homem, todo processo salvívico, da encarnação de Jesus, da morte na cruz, da ressureição ao terceiro dia, e da reconciliação através do sangue, foi somente para que o homem que é impuro pudesse ter a felicidade de receber o Espírito Santo em sua vida.

É impensável vivermos uma vida de comunhão com Deus sem a presença do Espírito Santo. É totalmente fora de questão nos relacionarmos com Deus sem o Espírito Santo.

@ezequielbarbosa.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário